Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

David Bowie na capa do diário "A Capital", edição de 14 de setembro de 1990

Gesco

David Bowie em Portugal: o grande concerto de estádio, o fiasco junto ao Tejo e o regresso falhado

Numa altura em que chega às lojas a caixa póstuma “Loving the Alien”, viajamos no tempo a 1990 e 1996 em busca dos dois concertos que o músico inglês deu em Lisboa. E de um terceiro, cancelado, no Porto...

A estreia em Alvalade, 1990

A primeira vez que David Bowie pisou um palco português foi a 14 de setembro de 1990. O concerto da digressão Sound + Vision realizou-se no segundo e último dia do festival Sons de Mar Música pelos Descobrimentos, que tinha também como pretexto o quarto aniversário do Cartão Jovem, no Estádio José Alvalade, em Lisboa (do cartaz, faziam também parte nomes como Rádio Macau, Marisa Monte, Ban ou Tubarões e os bilhetes custavam entre três e cinco mil escudos). A tour, encaixada entre a edição dos dois álbuns dos Tin Machine (banda liderada por Bowie, que se separaria em 1992), era apresentada como última oportunidade de ver o cantor apresentar sucessos antigos. Segundo o jornal BLITZ, Portugal foi um dos países que não contou com «a democrática participação telefónica do público na escolha de alguns temas». Com Bowie em palco, estiveram o guitarrista Adrian Belew, o baterista Michael Hodges, o baixista Erdal Kizilkay e o teclista Rick Fox. A coreografia e envolvimento cenográfico ficaram a cargo de Edouard Lock, da companhia de dança canadiana La La Human Steps. O músico chegou a Portugal no dia anterior ao concerto, depois de uma viagem de automóvel a partir de Madrid, e consigo trouxe um médico, uma enfermeira e um fisioterapeuta.

David Bowie no Estádio de Alvalade, setembro de 1990

David Bowie no Estádio de Alvalade, setembro de 1990

Gesco

O concerto de que poucos se lembram, 1996

A 23 de junho de 1996, Bowie regressou a Lisboa para encabeçar o cartaz do último dia da segunda edição do festival Super Bock Super Rock, no Passeio Marítimo de Alcântara. O cartaz era apelativo (também Neneh Cherry ou Primitive Reason subiram ao palco), mas poucos serão os que incluem o concerto entre as suas melhores recordações. A venda de bilhetes ficou abaixo das expectativas nessa mesma noite a seleção portuguesa jogava contra a República Checa nos quartos-de-final do Europeu de Futebol e a organização viu-se obrigada a abrir as portas do festival para conseguir encher o espaço (a partir de certa hora, só era necessário ter cartão de estudante para entrar). Portugal perdeu o jogo e foi eliminado, Bowie foi castigado: «o homem não foi capaz de fazer funcionar a seu favor tamanha multidão, como aconteceu com os Delfins ou os Prodigy nas duas noites anteriores», escrevia-se na reportagem do jornal BLITZ, na semana seguinte.

Passeio Marítimo de Alcântara, 23.06.96: o segundo e último concerto de Bowie em Portugal

Passeio Marítimo de Alcântara, 23.06.96: o segundo e último concerto de Bowie em Portugal

Arquivo BLITZ

O regresso que não aconteceu 2004

David Bowie esteve quase a regressar a solo nacional, mas o espetáculo anunciado para o Estádio do Dragão, no Porto, a 17 de julho de 2004, foi cancelado por razões de saúde: começou por ser divulgado que o «camaleão» teria contraído uma lesão no ombro, mas seria revelado mais tarde que Bowie teria sofrido um problema de coração. O resto da digressão seria, assim, cancelado e Bowie não voltaria a dar um concerto em nome próprio. O festival, que contemplava atuações de Iggy & the Stooges e Deep Purple, chegou a ser transferido para o Pavilhão Atlântico, em Lisboa, mas acabaria por ficar sem efeito.

Originalmente publicado na BLITZ de março de 2013.