Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

António Zambujo em estúdio

Rita Carmo

“Imaginem uma mistura de Tom Waits e Rodrigo Amarante, um pouco de McCartney e o Caetano caótico”. António Zambujo mostra-nos o novo disco

A BLITZ esteve no estúdio onde António Zambujo acabou de gravar o sucessor de “Até Pensei Que Fosse Minha”. As novidades são muitas - por exemplo, vai haver orquestra - e pode conhecê-las aqui pelas palavras do artista

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Rita Carmo

Rita Carmo

Fotojornalista

A BLITZ esteve com António Zambujo nos estúdios Atlântico Blue, em Paço de Arcos, acompanhando a reta final das gravações do seu próximo disco, que chega às lojas a 23 de novembro.

Ainda sem título escolhido, o sucessor de “Até Pensei que Fosse Minha”, disco de versões de Chico Buarque, editado há dois anos, e de “Rua da Emenda”, lançado em 2014, conta com vários colaboradores.

Na produção, por exemplo, há três nomes de peso: Filipe Melo, Nuno Rafael e João Moreira.

Filipe Melo é um dos produtores do disco

Filipe Melo é um dos produtores do disco

Rita Carmo

Entre aqueles que escreveram canções para António Zambujo encontra-se também um generoso leque de estreias e de colaboradores habituais.

Além dos originais, António Zambujo dará voz a uma versão de 'Amapola', um clássico que o alentejano cantará no original, ou seja, em espanhol.

Estas são as canções que António Zambujo nos revelou constarem do alinhamento do seu novo disco e os seus respetivos autores:

'Multimilionário', Jorge Benvinda
'Já Não me Queres', Luísa Sobral
'Retrato de Bolso', Aldina Duarte
'Catavento da Sé', Miguel Araújo
'Arrufo', Pedro da Silva Martins
'Amor de Antigamente', Paulo Abreu Lima
'Madera de Deriva', Jorge Drexler
'Sem Palavras', João Monge/Mário Laginha
'Até ao Fim', Arnaldo Antunes

Além destas canções, António Zambujo cantará um tema de Márcia, outro de Rodrigo Maranhão, um do também brasileiro Cézar Mendes e a já referida versão de 'Amapola'.

A Orquestra Sinfonietta de Lisboa, que acompanha António Zambujo em alguns temas

A Orquestra Sinfonietta de Lisboa, que acompanha António Zambujo em alguns temas

Rita Carmo

A sugestão de Filipe Melo, algumas das canções contarão com a participação da Orquestra Sinfonietta de Lisboa. Os arranjos destes temas ficaram a cargo de Filipe Melo, sendo os das restantes músicas um trabalho conjunto de António Zambujo, Nuno Rafael, João Moreira e Filipe Melo.

António Zambujo acredita, porém, que esta nova abordagem não comprometerá o som habitualmente "espaçoso" da sua música.

Menos é mais - partimos sempre desse princípio. Eu já tinha pensado que este disco teria de ser diferente. E segui um caminho diferente: acabámos por fugir do som acústico, do balanço brasileiro, e aproximámo-nos mais de outras influências. Entre o Tom Waits e o som brasileiro, mas não o mais tradicional - um disco que ouvimos muito e que partiu de base para este nosso disco foi o 'Cavalo', do Rodrigo Amarante. Se conseguires, na tua cabeça, fazer uma mistura entre Rodrigo Amarante e Tom Waits, um bocadinho de Paul McCartney e das fases mais caóticas do Caetano Veloso, consegues imaginar o meu disco”, ilustra.

Gravando as últimas vozes, nos estúdios Atlântico Blue, em Paço de Arcos

Gravando as últimas vozes, nos estúdios Atlântico Blue, em Paço de Arcos

Rita Carmo

O álbum chega às lojas a 23 de novembro, pela editora Universal.