Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Homem em Catarse

Carlos Manuel Martins/Bons Sons

“As reações que interessam são as de quem lá esteve. Foi um concerto emotivo”. As palavras do músico que causou polémica no Bons Sons

Afonso Dorido levou o seu projeto Homem em Catarse ao festival Bons Sons, mas o facto de o concerto se ter realizado numa igreja gerou críticas e motivou um comunicado da diocese de Santarém. À BLITZ, o músico recorda um espetáculo “muito bonito”

O concerto do projeto Homem em Catarse no festival Bons Sons, em Cem Soldos, a 11 de agosto último, causou polémica e indignação em meios católicos, tendo provocado uma reação da diocese de Santarém.

O facto de o espetáculo ter decorrido numa igreja - a de São Sebastião, localizada na aldeia que recebe anualmente o evento - motivou críticas em páginas digitais ligadas a grupos católicos, uma delas considerando o acontecimento o "Woodstock na igreja", levou a diocese de Santarém a emitir um comunicado onde se esclarece que o Bispo de Santarém não teve "conhecimento prévio de que a Igreja de São Sebastião de Cem Soldos iria ser usada para espetáculos do Festival Bons Sons" e que "não é legítimo programar numa igreja a execução de uma música que não é de inspiração religiosa e que foi composta para ser interpretada em contextos profanos precisos".

Em declarações à BLITZ, Afonso Dorido, mentor do projeto musical, não comenta o comunicado do patriarcado, preferindo recordar "um concerto muito bonito e emotivo". "Logo aí [em Cem Soldos], as pessoas de uma forma generalizada me abordaram para me dizer que tinha sido uma actuação 'especial', 'emotiva' e de 'partilha'. E é logo aí que prefiro sentir as reações das pessoas, olhos nos olhos. Recebi nas semanas seguintes mensagens de várias pessoas que lá estiveram a manifestar que a atuação lhes tinha ficado na memória. E são essas as reações que no fundo interessam. Reacções de quem lá esteve", acrescenta o cantor e compositor de Barcelos, também membro dos Indignu.

O convite para atuar no Bons Sons surgiu, afirma Dorido, "no seguimento do [álbum] 'Viagem Interior', que é um disco que exalta o interior e as suas gentes. Há inclusive um tema, 'Tomar', que tem filmagens em Cem Soldos realizadas por pessoas da região. Pareceu natural e lógico à organização convidar-me a levar as minhas canções 'interiores', a um local do interior onde me inspirei". O músico revela-se um admirador do festival, tendo ido para Cem Soldos "um dia antes [do concerto], para aproveitar um festival ímpar e que une público, população e artistas". "Quem lá vai sente-se parte da aldeia e é um privilégio poder vivê-la, seja como músico ou como espetador", conclui.

No vídeo, partilhado pelo artista há duas semanas, pode ver-se o artista tocando guitarra elétrica no altar da igreja, registando-se ainda a reação efusiva da plateia. É também este o vídeo que, na sequência da sua partilha nas redes sociais, suscitou as críticas que motivaram o comunicado da diocese escalabitana.