Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Vídeos

“Aquilo que se ganhou com o festival do ano passado perdeu-se com o deste ano”. A opinião de Tozé Brito sobre o Festival da Canção [VÍDEO]

Tozé Brito, administrador da Sociedade Portuguesa de Autores, defende, em entrevista à BLITZ, que as acusações de plágio atingiram “proporções absurdas” e vão afastar os compositores em edições futuras

Rita Carmo

Rita Carmo

Fotojornalista

Tozé Brito defendeu, em entrevista à BLITZ, frisando que era a sua opinião pessoal e não da Sociedade Portuguesa de Autores, cujo painel de administração integra, que "aquilo que se tinha ganho com o Festival [da Canção] perdeu-se com o festival deste ano", referindo-se às acusações de plágio a Diogo Piçarra feitas nas redes sociais.

"Posso estar muito enganado, mas, mais uma vez, penso que vamos assistir a um recuo. Uma série de nomes que aceitariam o convite este ano se forem convidados a escrever canções para o ano vão dizer que não se querem meter", acrescenta.

O músico defende também que as acusações e "perseguições" estão "a tomar proporções absurdas". "Não foi só o Diogo Piçarra... Depois, a canção que ganhou também já foi acusada de plágio e andam a vasculhar, a tentarem perceber se há mais plágios nas carreiras dessas pessoas. Isto é quase ridículo. Parece que os portugueses não têm mais nada que fazer senão falar de futebol e de plágio".

Recorde-se que Tozé Brito também esclareceu, em declarações à BLITZ, a sua posição em relação ao plágio na música: "é absolutamente criminoso, fica dito para que não haja confusões. Mas tem que ser um juiz a tomar essa decisão. Eu só posso esperar pela decisão do tribunal".