Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Vídeos

Tribunal francês não dá razão a artista que acusou Lady Gaga de plágio

A artista francesa Orlan processou a cantora norte-americana devido aos elementos visuais do álbum Born This Way

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

O Supremo Tribunal francês não deu razão a Orlan, a artista que em 2013 acusou Lady Gaga de plágio e violação de direitos de imagem.

Na origem da queixa apresentada pela artista francesa estiveram a imagem de capa do álbum Born This Way, de 2011, e o vídeo do seu tema-título.

Orlan pediu uma indemnização de cerca de 30 milhões de euros, o que corresponde a 7,5% dos royalties que Lady Gaga recebeu pelo álbum, que vendeu oito milhões de cópias em todo o mundo.

A artista considera que a cantora se inspirou de forma demasiado livre em duas esculturas da sua autoria: Bumpload, de 1989, que a mostra com altos na cara e nos ombros, e Woman With Head (1996), onde a sua cabeça surge cortada e disposta numa mesa. Pode ver os trabalhos de Orlan aqui.

Orland acredita que Lady Gaga usou a imagem da cara desfigurada na capa do disco e a da cabeça cortada no vídeo de "Born This Way".

O tribunal determinou que uma instalação artística não pode ser reduzida apenas aos seus elementos físicos, devendo ser tida em consideração a sua mensagem, "essencial para a compreensão do trabalho", decidindo ainda que a ideia de transformação do corpo humano num ser híbrido é um conceito que deve permanecer "livre".

Orlan, que pretende recorrer da decisão, terá agora que pagar 10 mil dólares a Lady Gaga e igual quantia à sua editora.