Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Taylor Swift acusada de "roubar" uma raposa

Artista Ally Burguieres diz ter tido a ideia original, mas a equipa da cantora norte-americana nega uso indevido.

Taylor Swift está a ser acusada de usar indevidamente a imagem de uma raposa para promover o álbum 1989 pela artista de Nova Orleães Ally Burguieres, que lhe enviou uma carta aberta no passado fim de semana. A artista acusa: "Swift publicou uma cópia de uma ilustração para promover o álbum 1989", a equipa da cantora nega ter "roubado" a imagem, dizendo que foi apenas uma partilha de um desenho de um fã.

Segundo Burguieres, Taylor não acedeu a dar-lhe os créditos do desenho, com sua equipa a oferecer-lhe em vez disso uma compensação que, no fundo, não seria para ela pois todo o dinheiro teria de ser doado para uma associação de defesa dos animais. 

"Posso ter 'apenas' 1239 seguidores no Instagram, mas acredito que o meu trabalho tem valor", escreve a artista na carta enviada a Swift, "enquanto artista profissional, fiquei admirada por ver que usou um dos meus desenhos mais populares em todas as suas plataformas oficial de redes sociais como forma de promover 1989".

E continua: "apesar de ter ficado a pensar por que razão ninguém me pediu autorização ou ofereceu compensação, percebi que é um grande incentivo para um artista, daqueles que só acontece uma vez na vida e pode trazer um grande impacto à nossa carreira. Os amigos deram-me os parabéns e os clientes ficaram contentes. Mas os parabéns transformaram-se em confusão. O desenho era uma cópia e com o nome de outra pessoa na assinatura".

Burguieres diz então que pensou que seria fácil resolver o assunto tendo em conta a postura de Swift na defesa dos direitos dos artistas, mas que se enganou porque as tentativas que fez levaram apenas a que o post da raposa fosse retirado. "Mas a cópia tinha sido partilhada e baixada inúmeras vezes e pareceu-me que nem você nem a sua equipa tinham qualquer intenção de corrigir o vosso erro".

Tendo em conta a soma de "quatro dígitos" que diz ter-lhe sido oferecida - a tal que teria de doar a uma associação -, a artista questiona: "Taylor, enquanto profissional, concordaria com esses termos por parte da Apple ou do Spotify? O meu trabalho é a minha forma de subsistência e o que me dá dinheiro para pagar as contas, suportar a minha família e pagar aos meus empregados". 

A finalizar, Burguieres diz não deseja qualquer mal a Swift e que admira a forma como ela defende, em teoria, a arte e a propriedade intelectual: "espero simplesmente ver que as suas ações estão em concordância com os valores que diz ter". Veja as imagens abaixo.