Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Steve Aoki no MEO Sudoeste: o Rei Leão, Titanic e os bolos que nunca mais chegam

DJ e produtor norte-americano chama os Showtek ao palco para abrir uma garrafa de champanhe no meio da salgalhada musical que até pelos Oasis passou.

Steve Aoki
1 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
2 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
3 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
4 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
5 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
6 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
7 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
8 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
9 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
10 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
11 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
12 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
13 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
14 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
15 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
16 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
17 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
18 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
19 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
20 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
21 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
22 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
23 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
24 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
25 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
26 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
27 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
28 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
29 / 30

Steve Aoki

Steve Aoki
30 / 30

Steve Aoki

Se dissermos que tudo cabe num set de Steve Aoki não estamos a exagerar. O DJ e produtor de Miami era o nome mais aguardado da noite e os últimos cartuchos da edição deste ano do MEO Sudoeste são queimados ao som de coisas tão variadas quanto a música do filme de animação O Rei Leão, "Wonderwall" dos Oasis ou, porque não, "My Heart Will Go On", canção que Celine Dion ofereceu ao filme Titanic. Tudo, claro, embrulhado em batidas eletrizantes que depois de uma contagem decrescente incial serviram de chamamento às dezenas de milhares que permanecem no recinto da Herdade da Casa Branca (40 mil, diz o próprio). 

Se logo no início, é "How Deep Is Your Love", o recente êxito de Calvin Harris, a empurrar os esqueletos para a dança, debaixo das habituais chuvas de confetti e pedidos de barulho e mãos no ar a viagem rapidamente parte para outras paragens, com "Lightning Strikes", o mais recente single de Aoki (com NERVO e Tony Junior), ou "I Love It When You Cry", a sua remistura para o tema de Moxie, a fazerem mossa. 

"Cake Me" lê-se em vários cartazes espalhados entre a multidão, uma alusão à já célebre tradição do DJ de esfregar bolos na cara dos fãs mais ávidos de açúcar... Mas até esse momento chegar ainda foi preciso aguardar mais de uma hora. Vários foram os bolos que voaram do palco para a plateia, mas não sem antes Aoki chamar os Showtek ao palco para abrir uma garrafa de champanhe e alinhar um grupo de meninas bonitas para uma foto que, segundo o próprio, irá parar às redes sociais para mostrar como Portugal o recebe bem. 

"Insomnia" dos Faithless, "Bitch Better Have My Money" de Rihanna, "If I Lose Myself" dos One Republic, "Lean On" (pois claro) de Major Lazer ou o velhinho "I Like to Move It" dos Reel 2 Real são alguns dos sucessos que ajudam a compor o alinhamento da atuação que encerra o MEO Sudoeste 2015. 

Texto: Mário Rui Vieira 

Fotos: Rita Carmo/Espanta Espíritos