Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Regula no MEO Sudoeste com Sam The Kid: o apagão, as groupies e "Casanova"

Apesar de um contratempo logo no início do concerto, "Don Gula" foi coroado "rei" no palco da Zambujeira do Mar.

Regula
1 / 15

Regula

Regula
2 / 15

Regula

Regula
3 / 15

Regula

Regula
4 / 15

Regula

Regula
5 / 15

Regula

Regula
6 / 15

Regula

Regula
7 / 15

Regula

Regula
8 / 15

Regula

Regula
9 / 15

Regula

Regula
10 / 15

Regula

Regula
11 / 15

Regula

Regula
12 / 15

Regula

Regula
13 / 15

Regula

Regula
14 / 15

Regula

Regula
15 / 15

Regula

Um ano depois de ter pisado aquele mesmo palco com os 5-30, Regula regressou ao MEO Sudoeste em nome próprio e teve o público sempre consigo - apesar de um contratempo logo no início da atuação o ter forçado a uma longa pausa.  

Alguns minutos na penumbra - a mesa do DJ caiu - e o rapper dos Olivais regressou. Bastou um grito ("foda-se, pr'ó caralho") e nenhuma explicação para voltar a ter os seus (bastantes) fãs, que segundos antes assobiavam (e entoavam cânticos de clubes de futebol), do seu lado. 

Os cartazes provocadores, com alusões às letras igualmente provocadoras de Regula, pintalgaram a multidão que o acompanhou palavra a palavra ("Há aqui vegetarianas que comem morcelas"; "Gira essa mambo Gula"; "Don Gula és rei").  

Sempre de boné e óculos de sol, o rapper apostou forte nos temas de Casca Grossa, o novo álbum, mas recuou a discos anteriores com "Bar Aberto", "Berço d'Ouro" ou o muito celebrado "Casanova", guardado para o final, obviamente ("quero ouvir toda a gente a cantar isto"... e cantaram).

 Em "Gana", "Langaife" e "Solteiro", dos Orelha Negra, Regula contou com a ajuda do convidado especial Sam The Kid, muito aplaudido, claro. As despedidas fizeram-se ao som de "Casca Grossa".

"Obrigado Sudoeste, até à próxima". A avaliar pela receção - os fãs acederam a todos os pedidos: mãos no ar, luzes de telemóveis e letras na ponta da língua - certamente haverá uma próxima.

Texto: Mário Rui Vieira 

Fotos: Rita Carmo/Espanta Espíritos