Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

'Oupa', com André Tentugal e Capicua, leva música a bairros sociais no Porto

André Tentugal (We Trust) e Capicua são dois dos músicos envolvidos no projeto cujos frutos serão desvendados em julho, num concerto no Rivoli.

Ensinar música, escrita criativa e vídeo no bairro social do Cerco, no Porto, é o mote do projeto Oupa, no qual se têm empenhado, nos últimos meses, André Tentugal, dos We Trust, e Capicua. O convite surgiu da Câmara do Porto e estendeu-se ainda a Vasco Mendes, realizador que tem criado vídeos para Batida e White Haus, entre outros. À BLITZ, André Tentugal explicou que, na origem da ideia, esteve um projeto semelhante que a psicóloga Gisela Borges já tinha levado a cabo em Espinho. "A Câmara do Porto pegou na ideia e adaptou-a; o Oupa Cerco é um workshop de música com todas as fases do processo, da criação da música, dos beats e da escrita das letras à gravação dos temas. Agora vamos produzir vídeos e fotografias promocionais, e ainda teremos uma parte de marketing digital que vou dar com a Ana [Capicua], onde vamos explicar estratégias de Facebook e YouTube", desvenda, explicando que à autora de Sereia Louca coube igualmente dar aulas de escrita criativa e ao seu produtor D-One falar sobre produção musical. A participar nos workshops, incluídos no programa da autarquia Cultura em Expansão, estão residentes do bairro do Cerco, entre os 18 e os 30 anos. "Temos aqui histórias de vida incríveis, miúdos que já estiveram à porta da morte... gente muito lutadora", elogia o músico e realizador. "Quando cá chegámos, o grupo era um pouco mutante, até que se criou uma [turma] de dez a 15 jovens que estão cá regularmente. São pessoas que sentem que têm algo a provar à cidade", ilustra. "Contam-nos histórias de a polícia vir aqui e de os abordar, muitas vezes injustificadamente, e sentes que há muita verdade na forma como lidam connosco. E são muito generosos: é malta que está muito disponível para receber e para dar. E depois há aqui muito talento, sem dúvida". Esse talento poderá ser comprovado no espetáculo marcado para dia 5 de julho, no Rivoli: "Vamos mostrar todo o trabalho que foi feito", anuncia, revelando ainda que, com Vasco Mendes, está a produzir um documentário chamado Cercados. "É uma metáfora, como se o bairro do Cerco é que estivesse cercado pela própria cidade, e a música fosse a arma que os jovens têm para saírem da periferia e irem até ao centro do Porto apresentar a sua arte". Olhar para as pessoas "de igual para igual e com respeito" é o mais importante num projeto que já redundou numa relação de amizade, garante André Tentugal. "Muitos são miúdos que cresceram juntos e se foram separando. O Oupa está a servir para se reencontrarem em algo construtivo e a inspirá-los a encontrar um caminho, o que também era uma das missões do projeto".

Lia Pereira Originalmente publicado na BLITZ 108 Foto André Tentugal