Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

'Os músicos hoje não têm a mesma fome que nós tínhamos', diz Shirley Manson, dos Garbage, sobre concertos cancelados

Uma das entrevistadas da BLITZ de novembro, nas bancas amanhã, 30 de outubro, comenta a frequência com que, hoje, são cancelados concertos e digressões. "Eu era um autêntico tanque", recorda a vocalista dos Garbage.

Uma das entrevistadas da BLITZ nº 113, nas bancas amanhã, 30 de outubro, Shirley Manson fala sobre os 20 anos do primeiro disco dos Garbage, agora reeditado, e muitos outros temas. Sobre a crescente tendência para o cancelamento de concertos e digressões - nos últimos dias, e por razões de saúde, foram cancelados espetáculos e tournées de D'Angelo, Girl Band ou Waxahatchee (que já não fará a primeira parte de Kurt Vile no Armazém F, em Lisboa) - Shirley Manson lembra que, quando os Garbage começaram, "era um autêntico tanque" (no original, "a motherfucking tank"). "Não sei como é que aguentava, mas nunca tive problemas de voz, nem problemas de saúde... não via mais nada à frente. Eu estava faminta porque esta era a minha oportunidade e, se não a aproveitasse bem, voltava para Edimburgo, para o desemprego. Penso que hoje, devido ao advento da internet, as bandas e os artistas têm, por vezes, uma ideia distorcida do seu próprio sucesso. Porque veem-se no ecrã imediatamente", argumenta a artista escocesa. "Podemos tocar num clube merdoso no meio do nada, mas ter a coisa filmada de uma forma muito bonita e posta a circular na internet, e de repente temos umas quantas visualizações. Quando eu era uma jovem música, isso não acontecia. Creio que alguma da minha fome veio dessa determinação em querer ser vista e ouvida, o que na altura era um pouco mais difícil que hoje". "Com isto não quero dizer que os artistas tenham, hoje, a vida mais facilitada; nalguns aspetos penso que até é mais complicado porque há tanto ruído sonoro e visual! Estou sempre a perguntar-me: mas porque é que estes artistas estão sempre a adiar concertos e não conseguem concretizar os seus objetivos e tocar tanto como nós dávamos? Parece-me que é por não terem a mesma fome que nós tínhamos", concretiza Shirley Manson. Para ler a entrevista completa com Shirley Manson, consulte a BLITZ de novembro, amanhã nas bancas (capa: Kurt Cobain).