Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

O Sol da Caparica: Batida 'sofre' por causa dos Xutos

Projeto de Pedro Coquenão sofreu por atuar imediatamente antes do cabeça de cartaz indiscutível do dia, os Xutos.

O Sol da Caparica - Batida
1 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
2 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
3 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
4 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
5 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
6 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
7 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
8 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
9 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O Sol da Caparica - Batida
10 / 10

O Sol da Caparica - Batida

O projeto de Pedro Coquenão subiu ao palco antes dos Xutos & Pontapés, numa altura em que o público já se mostrava claramente sedento de ouvir os êxitos da banda rock. O artista nunca chegou a ter o público na mão, apesar do esforço, da entrega e da excelente proposta musical que trouxe. O espetáculo de Batida, que mistura dança, projeção vídeo, histórias e uma componente política forte, seria mais condignamente degustado num auditório do que em ambiente de festival. Há muitos pormenores para além da música (Coquenão passa grande parte da atuação a tentar consciencializar o público para os problemas que Angola atravessa atualmente, nomeadamente em torno da libertação do 15 jovens ativistas presos por suspeita de estarem a preparar a deposição do governo e a destituição do Presidente da República) que requerem uma atenção e reflexão especial, longe do vaivém festivaleiro. Para fruir, melhor, noutra ocasião. Texto: Manuel Rodrigues Fotos: Dário Cruz