Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

O que me leva a Sines é... 'Um círculo maravilhosamente vicioso', diz Petra Pais, cantora

A vocalista da banda blues Nobody's Bizness é adepta de um festival que recebe bem quem o visita, "atrás e à frente do palco". O FMM de Sines começa amanhã.

Ao longo desta semana, vimos antecipando a 17ª edição do FMM (Festival Músicas do Mundo) de Sines publicando depoimentos dos seus espectadores mais fiéis e apaixonados. A importância do público militante no FMM é comprovada por Petra Pais, vocalista da banda blues portuguesa Nobody's Bizness e visitante frequente do festival alentejano. "O que me leva a Sines é o entusiasmo da descoberta", diz-nos. "É um festival a que vou sempre pela música em geral e não por alguns músicos em particular. Há um cuidado extremo na construção do cartaz e na escolha das bandas que, à partida, já me garante que, esteja em palco que continente estiver, o que vou ver é a nata da nata". O carinho que a organização do festival coloca em todas os passos do processo é visível no resultado final, considera a cantora: "Sente-se que existe um esforço por receber bem que visita o FMM, atrás e à frente do palco, e isso reflete-se em tudo: os músicos entregam-se com mais fervor, o público retribui a entrega proporcionalmente. É um círculo (maravilhosamente) vicioso". Para Petra, escolher o melhor concerto que já viu no FMM é "tarefa impossível". Os mais importantes, a seu ver, terão sido: Astrid Hadad (2005); Carlos Bica e Trio Azul com DJ Ill Vibe + Erika Stucky & The Roots of Communication (2007) e Danças Ocultas + Rokia Traoré (2008). Além dos concertos, Petra recomenda que os festivaleiros aproveitem "tantas iniciativas paralelas quanto o corpo (ou o intervalo da praia) permitirem". E que visitem "a livraria que foi eleita como melhor livraria do país: chama-se A das Artes e é um daqueles segredos bem guardados que não deviam ser segredo nenhum - comprar um livro recomendado pelo livreiro mais simpático de sempre e lê-lo na praia entre concertos". Fazer praia na Baía de Sines e "ouvir testes de som" no areal "é uma das coisas mais bonitas do mundo", acrescenta ainda. No álbum de mais belas recordações do FMM Sines, Petra Pais cola ainda esta imagem: "Quando o Bassekou Kouyaté pôs uma plateia de gente crescida, atenta, sofisticada e cosmopolita a cantar em cânone o Frère Jacques no Centro de Artes de Sines em 2008. Eu estava no lado direito e acho que o nosso lado era o mais afinadinho!".  A 17.ª edição do FMM Sines - Festival Músicas do Mundo realiza-se de 17 a 25 de julho no concelho de Sines (aldeia de Porto Covo e cidade de Sines). Saiba mais no site oficial.