Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Morreu Jaime Nascimento, um dos primeiros a tocar guitarra elétrica em Portugal

O músico português Jaime Nascimento, um dos primeiros a tocar guitarra elétrica em Portugal, morreu ontem em Cascais, aos 95 anos, disse à agência Lusa fonte próxima da família.

O músico português Jaime Nascimento, um dos primeiros a tocar guitarra elétrica em Portugal, morreu ontem em Cascais, aos 95 anos, disse à agência Lusa fonte próxima da família.



Jaime Nascimento foi, em 1952, um dos fundadores do Conjunto de Mário Simões e ao longo da carreira trabalhou com artistas como Amália Rodrigues, Carlos do Carmo, Simone de Oliveira, Tony de Matos e Maria Clara.



O corpo do músico estará em câmara ardente a partir das 18h de segunda-feira, na Igreja Paroquial de São Pedro e São João do Estoril, e o funeral realiza-se na terça-feira, a partir das 15h, naquela localidade.



Uma das últimas atuações de Jaime Nascimento foi em 2010, em Lisboa, como convidado de um concerto do Real Combo Lisbonense, com o qual interpretou, aos 90 anos, o tema "A Borracha do Rocha", que tinha sido gravado décadas antes pelo guitarrista.



À agência Lusa, o investigador João Carlos Callixto explicou que Jaime Nascimento, a par de Carlos Menezes, foi um dos pioneiros da guitarra elétrica em Portugal, ainda nos anos 1940.



Depois da fundação do Conjunto de Mário Simões, o guitarrista foi o único músico constante nas formações seguintes do grupo de música ligeira Conjunto Hélder Reis, onde era vocalista, e Quarteto de Mário Simões.



Com o Conjunto de Mário Simões gravou o em disco a música "Canção do Mar", em 1953, que a fadista Amália Rodrigues gravaria posteriormente. 



No formato quarteto, Jaime Nascimento gravou um disco que, em 1962, incluiu a

participação de Carlos do Carmo no fado "Loucura".



Entre 1959 e 1961, Jaime Nascimento também gravou em nome próprio, tendo editado três EP.



Em 1975, Jaime Nascimento fez parte do conjunto de Shegundo Galarza, com quem trabalhou até à morte deste, em 2003.



AGÊNCIA LUSA