Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

MEO Marés Vivas: Pedido de casamento em concerto de Miguel Araújo

Músico do Porto tocou versões de ABBA e Bob Dylan.

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
1 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
2 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
3 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
4 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
5 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
6 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
7 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo
8 / 8

MEO Mar�s Vivas 2015: Miguel Ara�jo

Sempre com um sorriso no rosto, Miguel Araújo brindou o público do segundo dia do festival com algumas das suas canções mais conhecidas, e também surpreendeu, ao tocar temas de Abba e Bob Dylan. Num concerto sempre contagiante e fluído, houve também lugar um pedido de casamento no palco, onde o "Sim" levou como presente uma canção do músico acompanhado pelo público. Foi num crescendo de percussão, palmas e guitarra que Miguel Araújo inaugurou o seu concerto, com o tema "Fizz Limão". Seguiram-se depois músicas como "E tu gostavas de mim", - canção que Miguel escreveu para Ana Moura - "Reader's digest" ou "Recantiga", sempre acompanhados por instrumentos tão diversos como Trompetes, harmónica, saxofones, concertina ou xilofone. Araújo surpreendeu ao tocar uma versão criativa de "Dancing Queen" dos ABBA e também "Like a rolling stone" do Bob Dylan, que segundo as palavras ditas por Miguel Araújo, foi a "primeira música" que aprendeu a tocar sozinho. No público havia pessoas a dançar coreografias decoradas pelo pulsar do momento numa cumplicidade constante demonstrada para com o músico, que brindou os presentes com um palco também ele intimista, parecendo antes um estúdio rústico, decorado com cisnes brancos de papel. Um dos momentos altos do concerto foi quando Ricardo, vencedor de um concurso do festival, subiu ao palco com a namorada e a pediu em casamento, diante de 30 mil pessoas. Do suspense da bateria até à audível resposta afirmativa, seguiu-se a "Balada astral" que o cantor dedicou ao casal, em uníssono cantado com o público. "São muito pouco astutos, muito pouco astutos. Toda a gente sabe que os homens são brutos". Sem bruteza, mas com a boa disposição que caracterizou o concerto, foi com o famoso tema "Os maridos das outras" que o músico encerrou o espetáculo, até ficar audível só a voz do público no refrão. Texto: Diogo Costa-Leal Fotos: Hugo Sousa