Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Linda Martini começam hoje residência de três noites no Musicbox, em Lisboa: saiba o que esperar

Em concertos esgotados, a banda lisboeta irá tocar, na íntegra, os dois primeiros álbuns e os primeiros EPs. A baixista Cláudia Guerreiro (na foto) explica porquê.

Até Casa Ocupada, lançado em 2010, os Linda Martini nunca tinham feito tiragens substanciais das suas edições, mas este mês, a oferta é incrementada com edições em CD e vinil de Casa Ocupada e do álbum de estreia, Olhos de Mongol (2006), bem como de uma edição exclusivamente em vinil que acopla os EP Linda Martini (2005) e Marsupial (2008). Em paralelo, a banda dá hoje o primeiro de três concertos no Musicbox, em Lisboa, cada um subordinado a uma destas edições: mais logo é a vez da interpretação integral do alinhamento dos EPs; amanhã (sexta) a sala do Cais do Sodré vai ver o grupo interpretar Olhos de Mongol; no sábado as portas abrir-se-ão a Casa Ocupada. Os concertos terão início às 21h30 e estão esgotados. Em entrevista à edição do passado dia 14 da revista E, do Expresso, a baixista Cláudia Guerreiro explica o porquê desta revisão de carreira: "no fim do ano, o Musicbox contactou-nos para fazermos três concertos. Pensámos que não se justificava dar três espetáculos iguais e como estávamos a fazer as reedições, juntamos uma coisa à outra - um pouco como fizeram os Dead Combo [quando tocaram álbuns na íntegra] na Galeria ZDB". O de esta noite, que abordará os EP Linda Martini e Marsupial, será o mais exigente. "Se do primeiro EP costumamos tocar quase tudo, do 'Marsupial' ficou praticamente tudo de parte - tinha beats, coisas eletrónicas, trompetes... É a primeira vez que o tocamos na íntegra", salienta. Para a banda, a memória é, nesta altura, reavivada. "Aparecem-me os primeiros ensaios no Black Sheep, quando aquilo ainda era um embrião de estúdio. No início, eu nem sequer fazia parte da banda - era só o Hélio [Morais], o André [Henriques] e o Sérgio [Lemos, que sairia em 2009] e lembro-me de estar a tocar harmónica enquanto eles interpretavam a 'Partir para Ficar'", conta Cláudia.