Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Jesse Hughes, uma força da Natureza

O líder dos Eagles of Death Metal é conhecido pelo seu comportamento politicamente incorrecto. Homofobia, defesa do porte de armas, misoginia ou a apologia do uso de drogas são comuns no seu discurso.

Jesse Hughes, 43 anos, diz que Josh Homme, dos Queens of the Stone Age, lhe salvou a vida. Depois da digressão de "Songs from the Deaf", Josh, o seu melhor amigo, terá regressado à Califórnia para resolver um caso que, nas palavras do próprio Jesse Hughes, parecia não ter solução. O líder dos Eagles of Death Metal dizia viver com a mãe enquanto geria uma cadeia de lojas de aluguer de vídeos, ao mesmo tempo que colaborava com o Partido Republicano, para o qual escrevia discursos. Também era colecionador de armas de fogo. É o próprio quem o diz em entrevista ao magazine online Consequence of Sound, publicada a 1 de outubro: "Estava a passar por um divórcio terrível e, como sou um cristão devoto, o divórcio para mim não faz sentido. Pesava 115 quilos. Era um rapagão red neck. Geria uma cadeia de lojas de vídeo, colaborava com o Partido Republicano e escrevia discursos e merdas dessas. O que me ocorreu de imediato foi começar a meter speeds. Perdi mais de trinta quilos e fiquei verdadeiramente deprimido. A minha mãe chamou o Josh porque achava que ele era uma das únicas pessoas que eu ouvia. Estava preocupada pois achava que ia cometer suicídio. Tenho muitas armas. (...) O Josh chegou, puxou-me à parte e começou a guardar as minhas armas na fronha de uma almofada. 'Que é que se passa?', disse-me".