Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Como um ex-futebolista de top se transformou em DJ indie: eis Gaizka Mendieta

Representou a seleção espanhola de futebol por 40 vezes e foi duas vezes o melhor médio europeu do ano. Agora é DJ e diz-se apaixonado por Pavement, Belle & Sebastian e Iggy Pop.

Gaizka Mendieta, hoje com 37 anos, foi um dos centro-campistas espanhóis mais talentosos entre o final dos anos 90 e os primeiros anos da década passada. Fez carreira no Valencia (onde jogou quase 10 anos e marcou 45 golos), passou pela Lazio de Roma e Barcelona, e terminou a carreira no Middlesbrough, em Inglaterra. Entre 1999 e 2002 vestiu por 40 vezes a camisola da seleção espanhola, ao serviço da qual colocou por 8 ocasiões a bola dentro da baliza adversária. Por dois anos consecutivos (2000 e 2001), foi considerado pela UEFA o melhor médio europeu. Não é coisa pouca. O passo seguinte para jogadores com o estatuto de Mendieta costuma ser o departamento técnico de uma equipa de futebol, mas o basco - apesar de não desdenhar vir a dar instruções para o relvado a partir do banco - preferiu mudar-se para o local apetecido (e, teoricamente, proibido) de muito futebolista: a discoteca. Contudo, se pensa que Mendieta se deixou enfeitiçar pelas noites longas de Ibiza, está enganado. Na "bagagem de mão", DJ Mendieta - que integra o trio de giradisquistas Gasteiz Gang - leva rock (e dentro do rock, o de cariz mais "alternativo"), e o acerto com que se exibe (aliado, claro, ao inusitado de ser quem é) já o levou a um dos templos festivaleiros da Península Ibérica, o Festival Internacional de Benicàssim, onde em julho de 2011 - percebemos no Youtube - deu Ramones ao povo dançante. No site partidazo.com.pt pode ler-se que Mendieta "nunca escondeu o apreço por bandas como Velvet Underground, The Doors, Pavement ou Belle and Sebastian", estando Iggy Pop e Aretha Franklin entre as personalidades musicais que mais admira. Quando questionado se o apreço pela música era partilhado pelos colegas de balneário, a resposta é taxativa: "percebiam pouco". Terá sido no Middlesbrough, em Inglaterra (uma das pátrias do rock), que o seu interesse pela música se transformou em algo mais sério - e chegou aí o garage, a soul, o psicadelismo e o punk. Como curiosidade, a José Mourinho, treinador português do Real Madrid, Mendieta - que jogou no rival Barcelona - dedica "Born To Be Wild", dos Steppenwolf. Não discordamos. Veja aqui alguns dos melhores golos de Mendieta:
Reportagem televisiva sobre a "carreira" de DJ do ex-futebolista: