Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

BLITZ 57, COM ROGER WATERS NA CAPA, JÁ NAS BANCAS

Chegada da digressão The Wall a Portugal em destaque na BLITZ de março, nas bancas. Entrevistas com Liam Gallagher (Beady Eye) e Lemmy (Motörhead), artigos sobre R.E.M., Anna Calvi e e Banksy também na BLITZ 57.

Roger Waters, que em março regressa a Portugal para dois concertos esgotados no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, é a figura de capa da BLITZ de março, nas bancas na próxima sexta-feira, 25 de fevereiro.

BLITZ de março, nas bancas a 25 de fevereiro, com Roger Waters na capa Tal como adivinhado por boa parte dos leitores da BLITZ, o homem dos Pink Floyd é o grande destaque desta edição. Ao longo de dez páginas, vai ficar a saber, pela boca de Roger Waters, quais as grandes fontes de inspiração do complexo espetáculo The Wall. A história pessoal do músico, cujo pai perdeu a vida durante a II Guerra Mundial, e os significados políticos da digressão que em março passa por Lisboa são alguns dos pontos altos do artigo, no qual lhe dizemos, também, o que esperar dos concertos do Pavilhão Atlântico.

Dez páginas dedicadas a Roger Waters...

... com fotos que contam histórias. Subiram recentemente pela primeira vez - e com grande estrondo - aos palcos dos coliseus do Porto e de Lisboa. A BLITZ foi "a sombra" dos DEOLINDA no Coliseu de Lisboa, levando até si não só todas as histórias e todas as imagens dos concertos onde "nasceu" o hino "Parva que Sou", como também os mais apetitosos segredos de bastidores.

Com os Deolinda, nos bastidores, com bloco de notas e câmara fotográfica "Os meus primos não me reconheceram!", exclama, antes do concerto, Ana Bacalhau, comentando o seu penteado "neo-punk". Nem de propósito, e sem precisarem de penteados diferentes, Luís Martins confessar-nos-ia no dia seguinte. "O objetivo nunca foi sermos conhecidos. Sempre quisemos que fosse o nosso trabalho a ser reconhecido". O irmão completa "E a verdade é que andamos na rua e não nos reconhecem. As pessoas conhecem a música de cor e salteado, mas não nos conhecem a nós. É mesmo isto que procuramos, o contrário de outras situações em que as pessoas conhecem o artista mas não conhecem o trabalho"". Continuação lógica dos Oasis, que em 2009 arrumaram as botas, os BEADY EYE estreiam-se com o entusiasmo de debutantes. Liam Gallagher e Andy Bell contam à BLITZ o segredo da sua juventude - e algo mais.

Liam Gallagher e Andy Bell, ex-Oasis, falaram à BLITZ "Por acaso, [consigo imaginar-me a tocar ao vivo com a idade de Mick Jagger]. Desde que tenhamos saúde e bom aspeto, e estejamos a fazer música nova. Não sei se gostava muito de ir para a estrada de cinco em cinco anos sem ter canções novas, vivendo à sombra da bananeira. Mas imagino-me mais como o Paul Weller, em vez dos Stones. O Paul Weller está sempre a lançar discos e nem sempre acerta, mas ao menos arrisca, percebes?", Liam Gallagher Ainda mal o ano começou e já uma artista britânica passou de promessa a valor seguro. Brian Eno foi o primeiro a reparar nela. Nick Cave também se rendeu aos seus encantos. Agora, o mundo inteiro ameaça lançar-se aos seus pés. A BLITZ conta-lhe o que precisa de saber sobre ANNA CALVI.

Anna Calvi: já lhe chamam a nova PJ Harvey Verdadeira instituição do rock pesado, ainda no ano passado os Motörhead lançaram um álbum - o 20º. É o seu líder, a lenda viva LEMMY KILMISTER, que nos fala este mês dos "truques" que encontrou para sobreviver a cinco décadas de abuso rock and roll.

"Usávamos coleiras de cão, o que era um bocado irónico. O meu velhote era vigário e pisgou-se quando eu tinha três meses. A minha mãe nunca foi à igreja e nunca me fez ir, por isso eu nem queria saber. Com os Vickers ganhávamos 200 libras por semana cada um, limpinhos. Não éramos nada a sul de Birmingham, mas a norte esgotávamos o Locarnos [recinto de concertos], com os palcos giratórios. Era fantástico: miúdas aos berros a rasgarem-nos as roupas e agarradas aos nossos cabelos com tesouras - era de doidos, tendo em conta que nem se podia comprar álcool por lá. E depois um dia apareceu o homem dos impostos. Tinha um chapéu Homburg e uns papéis, e nós estávamos com umas miúdas agarradas a nós. Ele disse-nos: "vocês não preenchem uma declaração de impostos há três anos - vou penhorar o vosso barco a motor e aqueles três Jaguars que estão estacionados lá fora"", Lemmy sobre os seus verdes anos. São um dos grupos mais resistentes do rock americano de fação alternativa dos últimos 30 anos. Sobreviveram à passagem de modas, a graves problemas de saúde e até ao seu próprio sucesso, quando "Losing My Religion" e Out of Time os catapultaram para as bocas do mundo. De volta com o 15º álbum, os R.E.M. trocam a política por canções "mais humanas e universais". Saiba mais sobre o novo Collapse Into Now, um regresso em boa forma da banda de Michael Stipe. Exit Through The Gift Shop, o primeiro filme de Banksy, misterioso artista de graffiti, está nomeado para os Óscares na categoria de Melhor Documentário e tem estreia em Portugal a 15 de abril. Só que Exit... não é exatamente de BANKSY e não se sabe bem se é realmente um documentário... Rui Miguel Abreu olha para o percurso- e para as paredes! - do artista anónimo mais famoso do planeta. Conheça ou reveja alguns dos seus graffitis mais simbólicos.

O ditado que defende que não se devem julgar livros pela capa não é fácil de aplicar no mundo dos discos. A discoteca Carbono, em Lisboa, seleccionou 100 capas de discos que chocaram o mundo e que foram banidas, censuradas ou relutantemente toleradas. A BLITZ foi à exposição e leva até si oito páginas carregadas de capas polémicas e explica-lhe as razões (nem sempre muito óbvias) pelas quais elas foram alteradas ou mesmo proibidas.

Oito páginas sem vergonha. Prepare-se para corar. No Retrovisor, o escritor Octávio dos Santos descobre o que há de "errado" com a re-edição de My Life in the Bush of Ghosts, o clássico de David Byrne e Brian Eno, que este ano comemora 30 anos. Nos P&Rs, B FACHADA vai avisando que Portugal é pequeno para ele (e deixa-se fotografar por Rita Carmo), ao passo que CRISTINA BRANCO desvenda o tango do seu fado (ou vice-versa). WARPAINT e JAMES BLAKE são os Quase Famosos deste mês. No GUIA, saiba tudo sobre os novos discos de Adele, Beady Eye, Cut Copy, Robyn, Smith Westerns, Bob Marley (disco ao vivo), The Decemberists, Garda, Orchestre Polyrithmo, Garda, Glockenwise, White Lies, Social Smokers, Nobody's Bizness, LCD Soundsystem (ao vivo), Wild Birds and Peacedrums, Deerhoof, Cristina Branco, Esben and the Witch, Tiago Sousa, The Like, Wanda Jackson, The Wire, The Low Anthem, Dragonforce, Helmet, Ciara, James Blake, Jamie Foxx, Talib Kweli, Destroyer, Fujiya e Miyagi e Jon Spencer Blues Explosion (conjunto de re-edições em análise de página inteira). Nos DVDs, o destaque vai para o documentário sobre a vida de LEMMY, mas falamos-lhe ainda sobre lançamentos de Abba, Dark Was The Night ao vivo e Pink. A BLITZ de março chega às bancas a 25 de fevereiro, sexta-feira, acompanhada pelo jornal Optimus/BLITZ, e custa 2,90 euros.