Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Operação U2: “The Unforgettable Fire”, um álbum experimental

O quarto álbum da banda irlandesa foi o primeiro de uma série de colaborações com Brian Eno e Daniel Lanois

Pouco depois de renegociarem o seu contrato com a Island Records, em 1984, estendendo-o de forma bastante lucrativa, os U2 começaram a pensar no sucessor de “War”, assumindo desde o início que queriam ser mais do que apenas a “next big thing” das bandas rock. Para isso, contrataram Brian Eno (que tinha já na altura um currículo invejável, no qual figuravam colaborações com David Bowie, John Cale, Talking Heads ou Devo) e Daniel Lanois como produtores… O resultado foi “The Unforgettable Fire”, um álbum mais experimental.

U2 - "The Unforgettable Fire"

U2 - "The Unforgettable Fire"

Gravado entre o salão de baile do Slane Castle, na Irlanda, onde a banda passou uma temporada, e o habitual estúdio de Windmill Lane, o quarto álbum dos U2 saiu para as lojas a 1 de outubro de 1984 e incluía ‘Pride (in the Name of Love)’ – uma homenagem a Martin Luther King – e ‘Bad’, temas que não deixavam de parte a consciência sociopolítica da banda mas que chegavam embebidas numa sonoridade mais ambiental e abstrata, cortesia de Eno.

“Na América, tivemos muito más reações quando editámos ‘The Unforgettable Fire’”, recorda Bono em declarações citadas no site oficial da banda, “as pessoas pensavam que nós éramos o futuro do rock and roll e ficaram a pensar ‘o que estão a fazer com este álbum do hippie irritante Eno?’. Devemos muito ao Eno e ao Lanois por terem visto para lá de tudo e chegado ao coração dos U2”.