Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

A carta de amor de Ariana Grande à comunidade LGBT

“Cresci com um irmão gay”

Ariana Grande escreveu, esta semana, uma carta dirigida à população LGBTQ, a pedido da Billboard.

A carta, escrita em honra do mês do Orgulho Gay, que se celebra em junho, explica como a cantora se relacionou com esta comunidade ao longo de toda a sua vida, tendo crescido com um irmão homossexual.

Leia-a aqui, na íntegra:

Não há nada mais infeccioso que a alegria e o amor que a comunidade LGBTQ exala. Cresci com um irmão gay, emulando tudo o que ele fazia. Idolatrava-o. Tudo o que o Frankie fazia, eu também fazia. Não me lembro de haver qualquer diferença em relação ao Frankie antes de ele se assumir e depois. A sexualidade e o género nunca foram tópicos que eu ou a minha família temêssemos discutir. Quando o Frankie se assumiu, o meu avô, surpreendentemente imperturbado (para a idade dele), disse "Parabéns! Já podemos ir jantar? Estou com uma fome dos diabos".

Fui ensinada a maquilhar-me por drag queens em bares gay em Nova Iorque. Estreei-me na Broadway aos 14 anos e dei 8 espetáculos por semana, mas nunca houve uma noite em que me sentisse demasiado cansada para ir a um bar gay e fazer uma versão rápida de uma canção da Whitney Houston antes de ir dormir.

Tudo com que sempre me preocupei, no início da minha carreira, foi com a aceitação e celebração da minha música pela comunidade LGBTQ. Não há prémio ou distinção que venha a ganhar que me preencha mais do que ver uma drag queen, com um rabo-de-cavalo de 1,20m, a chegar a um meet and greet e dizer-me "olá, miúda", ou conhecer uma jovem pessoa queer no Starbucks que me diz que a minha música a ajudou a tornarem-se no que são. Literalmente nada.

O amor é como a música. Não conhece fronteiras e não é exclusivo a um género, sexualidade, raça, religião, idade ou credo. É uma liberdade e um luxo delicioso que todas as pessoas devem poder provar e desfrutar em cada momento.

Estou eternamente em dívida e inspirada pela comunidade LGBTQ. Espero criar-vos hinos, que vos embalem confortavelmente e façam-vos retirar o melhor da vida enquanto eu for viva. Obrigado por me celebrarem da mesma forma que vos celebro.

Amo-vos para sempre.