Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

The Strokes em 2017

Raphael Dias

Julian Casablancas em entrevista bizarra: Jimi Hendrix era um zé-ninguém, os Strokes servem apenas para pagar contas

O frontman dos Strokes disse ainda que Ariel Pink devia ser tão popular quanto Ed Sheeran

Julian Casablancas, frontman dos Strokes, deu recentemente uma entrevista à revista Vulture que está a dar que falar. Isto porque o músico fez uma série de afirmações bizarras, e por vezes falsas.

Questionado sobre o estado atual e o futuro da indústria musical, Julian Casablancas disse que Ariel Pink deveria ser tão conhecido quanto Ed Sheeran - e justificou o facto de tal não acontecer com a existência de uma "lavagem cerebral cultural".

Casablancas não se ficou, no entanto, por aí; traçando um paralelo entre as carreiras de Ariel Pink e Jimi Hendrix, o músico disse que Hendrix "precisou de dois anos para ser tão popular quanto o foi", dizendo ainda que o guitarrista "não teve quaisquer êxitos".

Uma afirmação que não corresponde de todo à verdade, já que Electric Ladyland, o terceiro álbum de Jimi Hendrix, chegou ao primeiro lugar das tabelas de vendas, tendo o guitarrista sido escolhido para encerrar o mítico festival de Woodstock. A resposta de Julian Casablancas? "Okay".

Casablancas comparou, ainda, o seu projeto atual (The Voidz, com os quais estará na edição deste ano do Super Bock Super Rock) com os próprios Strokes, recorrendo ao cinema para o fazer.

"No outro dia vi o Aniquilação, e falei com uma pessoa sobre como a Natalie Portman também entra nos filmes recentes do Thor. Achei isso interessante. Ela é fantástica no Aniquilação, e pensei que ela deve fazer algumas coisas por pura paixão e outras que só servem para pagar as contas", explicou.