Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Protestos contra Bertrand Cantat

Getty Images

Cantor francês que matou namorada cancela festivais depois de 75 mil pessoas assinarem petição

Bertrand Cantat diz ter resolvido cancelar a sua presença em vários eventos de música para “acabar com a controvérsia”

Bertrand Cantat, ex-vocalista dos franceses Noir Désir que matou a namorada em 2003, resolveu cancelar os concertos que tinha agendados em vários festivais. A sua decisão chegou depois de 75 mil pessoas assinarem uma petição a pedir que o evento francês Papillons de Nuit o retirasse do cartaz.

O cantor disse à agência France Press que decidiu cancelar todas as atuações que tinha agendadas em festivais para "acabar com esta controvérsia e com a pressão que recaía sobre os organizadores". Continuará, no entanto, a dar concertos em nome próprio, apresentando o álbum de estreia a solo, "Amor Fati".

Na sequência de uma discussão, Cantat agrediu a então namorada, a atriz Marie Trintignant, num quarto de hotel na Lituânia, há 15 anos. As agressões levaram a graves lesões cerebrais que acabariam por resultar na morte da atriz de 41 anos. O músico foi condenado a oito anos de prisão, tendo cumprido apenas quatro.

O Papillons de Nuit, que decorrerá em maio na Normandia, recusou-se a retirar Cantat do cartaz, defendendo que os seus "únicos critérios devem ser artísticos". Na petição assinada pelas referidas 75 mil pessoas dizia-se: "ao convidar Bertrand Cantat, estão a desculpabilizar a violência doméstica e a violência contra mulheres".