Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Michael Jackson e Quincy Jones nos Grammys em 1984

Getty Images

Quincy Jones acusa Michael Jackson de “roubar muitas canções” e diz que os U2 deixaram de fazer boa música

Produtor de Off the Wall, Thriller e Bad defende que o rei da pop, falecido há 9 anos, plagiou canção interpretada por Donna Summer em “Billie Jean”

Quincy Jones não falou só sobre a sua relação com Ivanka Trump e os Beatles na grande entrevista que deu à revista Vulture: o produtor de 84 anos também acusou Michael Jackson de ser "ganancioso" e "maquiavélico" e deu a sua opinião pouco abonatória sobre a música que os U2 fazem hoje.

Jones foi produtor de três dos álbuns mais reconhecidos da discografia de Jackson - Off the Wall, Thriller e Bad - e quando questionado sobre aquilo que as pessoas nunca perceberam sobre o falecido rei da pop respondeu: "detesto falar disto publicamente, mas o Michael roubou muita coisa. Roubou muitas canções. A 'State of Independence' [celebrizado por Donna Summer] e a 'Billie Jean'... As notas não mentem. Era maquiavélico".

O músico norte-americano refere-se às semelhanças entre o tema composto e gravado por Jon Anderson dos Yes e Vangelis em 1981 que se tornou conhecido na versão de Donna Summer, em 1982, produzida por Jones, e com coros de Jackson, e o grande sucesso de Jackson "Billie Jean", lançado em 1983.

"Ganancioso. Era ganancioso", continua o produtor, acusando-o depois de não creditar o compositor e teclista Greg Phillinganes em "Don't Stop 'Til You Get Enough" de Off the Wall: "o Michael devia ter-lhe dado 10% da canção. Não o quis fazer":

Jones diz também que sempre discutiu com Jackson sobre as suas operações plásticas, "ele justificava-se sempre e dizia que era por causa de uma doença qualquer que tinha. Tretas", e que o seu aspeto físico era um problema porque "o pai disse-lhe que ele era feio e abusou dele".

Mais à frente na mesma entrevista, o jornalista da Vulture pergunta diretamente ao produtor se "os U2 ainda fazem boa música", questão à qual Jones responde acenando negativamente com a cabeça: "adoro o Bono com todo o meu coração, mas há demasiada pressão sobre a banda".