Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

Lorde critica os Grammys por não ter podido atuar sozinha

Lorde foi a única nomeada para o prémio de Melhor Álbum do Ano que não teve a oportunidade de subir sozinha a palco

A cantora neozelandesa Lorde criticou a organização dos prémios Grammy por lhe ter sido recusada a oportunidade de atuar sozinha durante a cerimónia.

Lorde foi a única artista nomeada para Melhor Álbum do Ano que não gozou dessa oportunidade; todos os restantes, à exceção de Jay-Z, que rejeitou o convite da organização, puderam subir sozinhos a palco.

À cantora foi apenas oferecida uma oportunidade de participar num tributo a Tom Petty, juntamente com outros artistas, o que se negou a fazer.

O caso gerou algum mal-estar entre os fãs da cantora e dos Grammys, que acusaram a organização de não dar as mesmas oportunidades a Lorde de mostrar o seu talento apenas por esta ser mulher.

O Presidente dos Grammys, Neil Portnow, também foi bastante criticado por ter justificado a ausência de Lorde e os poucos prémios atribuídos a mulheres com o facto de estas não terem tanta criatividade quanto os homens.

"Têm de redobrar esforços, porque acho que seriam bem-vindas", disse, após a cerimónia.

Comentários que parecem ser o alvo de Lorde, numa publicação feita ontem no Twitter. "Se acham que não consigo arrasar com um palco, venham e vejam por vocês", escreveu.

Lorde, que se encontrava nomeada apenas na categoria de Melhor Álbum do Ano, por Melodrama, acabou por perder para Bruno Mars, o grande vencedor da noite, com 24K Magic.