Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

Como a música pode devolver uma parte da vida a quem sofre de demência

Um novo estudo mostra que a música pode ser benéfica para quem sofre de demência

Um novo estudo realizado em Inglaterra mostra que a música pode ser altamente benéfica para quem sofre de demência.

Segundo o estudo, os pacientes que ouvirem música que lhes é familiar poderão recuperar as memórias que perderam devido à doença, bem como minimizar os sintomas que a ela estão relacionados, como alterações no humor e perda de linguagem. Aprender a tocar um instrumento musical poderá, também, servir de prevenção à doença.

Isto porque as regiões do cérebro associadas à memória musical poderão sobrepor-se às regiões afetadas pela doença. "Às pessoas com demência tem sido negado o poder da música com significado", afirmou Sally Greengross, que lidera a comissão que produziu este estudo.

"[As pessoas com demência] vivem num mundo silencioso, mas a música pode trazer alguém de volta à vida", continuou.

Os resultados do estudo foram revelados este mês por um grupo de investigadores, durante uma sessão na Câmara dos Lordes, a câmara alta do parlamento do Reino Unido. Mais de cinquenta peritos assinaram a investigação.

Uma das mais importantes provas produzidas por este estudo foi o facto de os pacientes terem recuperado parte das suas memórias com maior clareza, após escutarem música que ouviram entre os 10 e os 30 anos.

O estudo surge pouco tempo após ter sido notícia o caso de uma mulher belga, que reconheceu o marido após ouvir a sua canção favorita.