Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Plataforma Why Portugal na direção de rede europeia de exportação de música

A Why Portugal, de promoção internacional da música portuguesa, vai integrar a direção de uma rede europeia de gabinetes de exportação de música (EMEE), em Bruxelas

Lusa

A Why Portugal, de promoção internacional da música portuguesa, vai integrar a direção de uma rede europeia de gabinetes de exportação de música (EMEE), em Bruxelas, disse à agência Lusa um dos responsáveis da associação, Nuno Saraiva.

A European Music Export Exchange (EMEE) foi criada em 2016 com a participação de mais de vinte gabinetes de exportação de música da Europa, com o objetivo aumentar a circulação internacional de artistas e músicos europeus.
De acordo com Nuno Saraiva, a plataforma Why Portugal foi convidada para fazer parte, a partir de janeiro e durante dois anos, da direção da EMEE, repartida com responsáveis de França, Holanda e Estónia.

"Este é um grupo de trabalho que pretende potenciar a ação de cada país no que diz respeito à exportação de música. É um 'lobby' concentrado em Bruxelas e, no nosso caso, será uma oportunidade para recuperarmos [em termos de experiência e conhecimento] num curto espaço de tempo", disse.

Além da EMEE, a associação Why Portugal vai ainda ficar integrada na rede ETEP - European Talent Exchange Programme, criada em 2003 pelo festival Eurosonic (da Holanda) e que junta 14 gabinetes de exportação, mais de uma centena de festivais de música e 27 rádios públicas, entre as quais a Antena 3.

Segundo Nuno Saraiva, o convite para a integração na rede ETEP surge na sequência da escolha de Portugal como país em destaque, este ano, no Eurosonic, com a presença de dezenas de artistas portugueses em Groningen.
A parceria implicará, por exemplo, que a participação oficial de Portugal no Eurosonic aumente anualmente de um para três artistas.

Estar presente nos dois organismos permitirá que mais artistas portugueses consigam chegar a novos mercados e tenham mais concertos e digressões, não só no mercado europeu como também fora dele, sublinhou.

A Why Portugal lançou-se em 2016 como uma plataforma virtual de agregação de contactos de artistas, editoras e agentes portugueses, com vista à promoção e divulgação internacional do mercado da música portuguesa, tendo estado presente em eventos como o Eurosonic, o festival alemão Reeperbahn e o norte-americano South by Southwest. "É uma associação para todo o cluster da música portuguesa, qualquer profissional pode participar", disse.

No entender de Nuno Saraiva, a Why Portugal é hoje o gabinete de exportação da música portuguesa, com o apoio das entidades Audiogest e GDA - Gestão dos Direitos dos Artistas, mas o responsável espera ainda que a Sociedade Portuguesa de Autores se junte ao projeto.