Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Amor, rock and roll e devoção a Satanás: o merchandising do NOS Alive

Depeche Mode ou Foo Fighters: quem ganha na banca das t-shirts? E quem vende uma t-shirt que diz algo como "Eu ouço-o porque venero Satanás"?

Rita Carmo

Rita Carmo

Fotojornalista

Está logo à entrada e quase todos passam por lá, mal chegados ao recinto. A banca de merchandising divide-se em dois: para um lado, o vestuário e acessórios próprios do festival; do outro, as "atrações" dos maiores nomes em cartaz (e também de outros não tão grandes assim).

Há t-shirts, claro, mas também tote-bags, camisolas e hoodies. O item mais caro, numa análise rápida e falível, será uma camisola com capuz dos Depeche Mode. 70 euritos. Um pouco mais barato, mas sem capuz, coisa parecida de Weeknd vale 50. T-shirts entre 25 e 35. Haja devoção.

Numa contagem também ela ad-hoc, parece-nos que os Depeche Mode ganham em quantidade - 8 itens facilmente identificáveis com a imagem da banda ou de "Spirit", o mais recente álbum. Os ingleses são perseguidos de perto pelos Foo Fighters, mais heterogéneos na iconografia - 6.

Os fãs de Cage the Elephant, Spoon, The xx, The Cult e outros que tais também não sairão de mãos a abanar, a troco do velho níquel.

E o prémio para a t-shirt mais desconcertante vai para... Ryan Adams. "I listen to Ryan Adams because I love Satan". Então está bem.