Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Eurovisão

Eurovisão: Ucrânia arrisca-se a pagar “multa avultada” por ter impedido Rússia de participar

A União Europeia de Radiodifusão pronunciou-se sobre o sucedido. Serviço público de televisão ucraniano pode ser obrigado a pagar centenas de milhares de euros

A televisão estatal ucraniana pode vir a pagar uma "multa avultada" por ter impedido a concorrente russa de participar no festival da Eurovisão deste ano, que se realizou em Kiev no passado mês de maio.

Yulia Samoilova, a representante da Rússia, foi impedida de entrar no país pelas autoridades ucranianas, que consideraram que a artista violou as leis do país com uma atuação na Crimeia, região anexada pela Rússia há três anos.

Uma solução de compromisso que teria passado pela participação de Samoilova via satélite, não sendo assim necessária a sua entrada em território ucraniano, não foi aceite nem pela Ucrânia nem pela Rússia.

Num comunicado citado pela Billboard, enviado pela União Europeia de Radiodifusão, lê-se que a multa poderá ser maior também devido ao facto de ter havido "graves atrasos" na organização do evento que levaram a "dificuldades desnecessárias".

"A estação de televisão responsável não cumpriu as suas obrigações no que diz respeito a trabalhar em conjunto com a UER no que dizia respeito à participação da artista russa", diz no comunicado, "como resultado, as atenções desviaram-se da competição e a reputação da Eurovisão foi posta em causa".

A multa foi recomendada pelo comité executivo do festival, defendendo que a emissora nacional ucraniana não cumpriu as regras da competição. Apesar de a UER não ter avançado com o valor da multa, o diretor geral do canal público de televisão ucraniano terá dito que poderá ser de 200 mil euros.

Citado por agências noticiosas russas, Zurab Alasania disse ainda que a estação vai apelar da decisão por não ter tido nada a ver com o facto de a representante russa não ter podido entrar na Ucrânia.