Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

BLITZ de julho já nas bancas. Chris Cornell e a “geração maldita” do rock dos anos 90 na capa + BLITZ Fest + CD grátis

Com a morte de Chris Cornell, coloca-se um ponto final no rock dos anos 90. Traçamos o percurso de uma “geração maldita” que perdeu também Kurt Cobain, Layne Staley, Scott Weiland e tantos outros, e que tem em Eddie Vedder um caso de sobrevivência. Ainda na revista de julho: Prince, Manel Cruz e Radiohead. Esta revista inclui a BLITZ Fest, com tudo sobre os festivais de verão, e um CD grátis de Scarecrow Paulo, o novo projeto de Paulo Pedro Gonçalves, dos Heróis do Mar e LX-90

O último foi Chris Cornell, a voz dos Soundgarden e dos Audioslave. Antes dele, partiram Scott Weiland, Layne Staley, Kurt Cobain e tantos outros. A geração maldita do rock dos anos 90 é o tema de capa da BLITZ de julho e é, também, a história de um tempo e, na maior parte dos casos, de uma cidade: Seattle.

BLITZ de julho de 2017

BLITZ de julho de 2017

Partimos de Chris Cornell, a última vítima, traçando-lhe um perfil completo. Voltamos a 1994, as últimos dias da vida de Kurt Cobain, líder dos Nirvana, um herói culpado. Em 2002 desaparecia Layne Staley, a voz dos Alice in Chains, depois de um longo período de dependência aguda da droga mais mortal de Seattle: a heroína. No fim de 2015, o rock dizia adeus a Scott Weiland, dos Stone Temple Pilots e Velvet Revolver, um ídolo camaleónico. Em contraponto, exaltamos o instinto de sobrevivência de Eddie Vedder, o último dos originais, o homem dos Pearl Jam que nunca quis o lugar deixado vago por Kurt Cobain e pelos Nirvana.

Na BLITZ de julho voltamos também aos anos 80, década em que Prince foi um dos maiores expoentes. O mundo conheceu-o, sobretudo, com Purple Rain, que é agora alvo de uma reedição, pretexto para voltarmos à América de 1984 e um cenário em que a cultura popular se encontrava em ebulição.

De volta ao presente, explicamos como se posiciona Lorde, quatro anos depois do êxito “Royals”. Melodrama traz música de coração partido e é, desde já, um dos melhores discos pop do ano.

Falando em português, fomos ao Porto olhar, em exclusivo, para o modus operandi de Manel Cruz, o homem que se deu a conhecer nos Ornatos Violeta, e que prepara agora um verão de concertos escolhidos a dedo.

Um olhar sobre a reedição de “OK Computer”, dos Radiohead, e o desvendar do que aí vem dos Arcade Fire e Queens of the Stone Age são outros dos temas da nova BLITZ que, como é costume nesta altura do ano, traz consigo a BLITZ Fest.

A primeira BLITZ Fest de 2017

A primeira BLITZ Fest de 2017

Os Pretenders, que em julho atuam no EDP Cool Jazz, fazem a capa da BLITZ dedicada aos festivais. Falámos com Chrissie Hynde sobre música, vegetarianismo e filosofia oriental. Ainda a reboque dos festivais, artigos sobre Red Hot Chili Peppers, Depeche Mode, Foo Fighters e uma entrevista com Jamie Cullum, bem como a reportagem fotográfica do NOS Primavera Sound, que no início de junho teve lugar no Porto. A não perder ainda a agenda com todos os pormenores sobre os principais festivais do verão português.

Como se não bastasse, a BLITZ de julho inclui, completamente grátis, um CD do novo projeto de Paulo Pedro Gonçalves, dos Heróis do Mar. Trata-se de “Shank”, primeiro álbum de Scarecrow Paulo.

Por fim, dentro das revistas deste mês foram distribuídos aleatoriamente 100 passes para o festival O Sol da Caparica, que tem lugar em agosto. Um deles pode ser seu!

A BLITZ de julho já se encontra nas bancas, ao preço de €4,90.