Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

Consumo e mortes nos festivais. Quais as drogas mais populares?

Um estudo debruçou-se sobre o público de 20 festivais espalhados pelo mundo e concluiu que substâncias como o LSD ou MDMA são mais consumidas em festivais de música eletrónica

Em Portugal não foram até hoje identificadas, pelo menos publicamente, mortes devido ao consumo excessivo de droga ou de estupefacientes adulterados com substâncias possivelmente letais em festivais de música – apesar de na edição do ano passado do Boom duas pessoas terem sofrido paragens cardiorrespiratórias e acabado por falecer, não foi divulgado se as mortes tinham sido provocadas pelo consumo de droga – mas em eventos estrangeiros não são poucos os exemplos reportados nos últimos anos.

Em 2016, o festival de música eletrónica argentino Time Warp ficou manchado pelas mortes de cinco jovens consumidores da pastilha “Superman”: edemas pulmonares levaram às paragens cardiorrespiratórias apontadas como causa das mortes. Em 2015, três pessoas morreram de overdose no festival californiano Hard Summer e uma outra no TomorrowWorld, na Florida.

Na sequência desta realidade, a do aparente aumento do consumo de drogas em festivais, a promotora britânica Festival Republic, subsidiária da Live Nation, propôs testar a pureza dos estupefacientes que os espetadores dos seus espetáculos levam para os recintos dos mesmos (esta ação seria apenas para quem se voluntariasse) por forma a evitar mortes relacionadas com o consumo. A proposta foi criticada pela polícia britânica, que, no entanto, concordou com a empresa quanto ao consumo de drogas ser uma realidade em festivais e a possibilidade de continuar a ser assim no futuro.

Para melhor entender o tipo de consumo em festivais, o site Detox.net, que aconselha pessoas sobre os processos de desintoxicação de drogas e álcool, levou a cabo um estudo para descobrir quais as drogas mais consumidas numa série de festivais espalhados pelo mundo. As conclusões retiradas baseiam-se na análise de posts do Instagram sobre as edições dos últimos dois anos de festivais populares, como os norte-americanos Coachella e Tomorrowland ou o inglês Glastonbury, e de 49 hashtags relacionadas com drogas.

Segundo o estudo, o público do Tomorrowland é o que mais posts faz no Instagram (uma fatia de 20.3% no total dos 20 festivais analisados), mas é no Coachella que as pessoas mais falam sobre drogas, logo seguido do festival de reggae Marley Fest, que se realiza em Malta, e do Burning Man, que decorre no deserto do Nevada, nos Estados Unidos.

Na grande maioria dos festivais, as drogas mais mencionadas são o álcool e a marijuana (no Marley Fest, 95% das referências ao consumo de drogas são relativas a marijuana), sendo que nos festivais de música eletrónica e de dança há mais menções ao LCD (o público do Burning Man é o que menciona mais o consumo de LCD, cogumelos e MDMA).

As menções a cocaína, crack, heroína ou ketamina são pouco expressivas em todos os festivais. No Ozzfest, cujo cartaz é normalmente composto por bandas de heavy metal e hard rock, destaca-se mais o consumo de álcool, tal como no Summerfest e no Chili Cook-Off, ambos norte-americanos.