Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Carlão

Rita Carmo

Carlão abre o jogo sobre o próximo álbum: “Vai da eletrónica quase pop até ao hip-hop puro e duro e voz e guitarra”

O músico português falou com a BLITZ sobre o seu segundo álbum de originais. “Agulha no Palheiro” é a primeira amostra e o vídeo já pode ser visto

Depois do autobiográfico Quarenta e do EP Na Batalha, Carlão vai voltar este ano com um álbum novo.

"Vai ser um álbum conceptual e, se calhar, não tão autobiográfico quanto o Quarenta", adiantou à BLITZ o músico, acrescentando que, a nível de influências, "há coisas que não podes evitar porque fazem parte do teu ADN, mas a ideia é não estar a encalhar demasiado nas mesmas fórmulas".

"Este álbum vai ter produções desde eletrónica quase pop, como é o caso de “Agulha no Palheiro” [o primeiro single], até hip-hop puro e duro, outras que são só voz e guitarra e até talvez só piano e voz", revela Carlão, que aponta a data de edição para o fim do verão.

O criador de "Os Tais", que diz já ter ultrapassado metade do processo de gravação do próximo disco, não se mostra alheado do atual contexto político mundial. "Tens bons momentos e maus momentos, alturas em que estás muito ligado ao que se passa e outras em que só queres é fugir e isso acaba por estar sempre presente nos meus textos. Portanto, claro que há referências àquilo que se está a passar nos Estados Unidos e não só…", salienta. "Eu acho que tenho sempre um espectro muito variado de moods, de vibrações e de sentimentos nos álbuns e, às vezes, as coisas até são meio bipolares porque é como a própria vida", considera.

Se Quarenta contou com as vozes convidadas de Sara Tavares, Dino d'Santiago e New Max (dos Expensive Soul), o novo trabalho seguirá as mesmas pisadas. "Sim, neste álbum também vai haver colaborações mas, por enquanto, ainda não posso avançar com nada!". Certo parece ser o equilíbrio procurado na produção e nas colaborações. "Estou a tentar que cada convidado ou cada produtor que faça música tenha pelo menos dois temas, para não ser uma coisa completamente esquizofrénica. Depois, na parte da mistura e masterização, acho que se consegue colar bem as coisas e foi isso que aconteceu também no Quarenta - fez-se um álbum com muitas coisas diferentes e acabou por não soar assim tão esquizofrénico. Talvez um bocadinho, mas um esquizofrénico tolerável, acho", conclui.

Até ao verão, assegura Carlão, voltará a haver novidades: "Saiu agora este single e tenho outro para lançar ainda antes do álbum inteiro, que só sai em setembro". “Não me apetecia nada ir para a estrada tocar só aquilo que já passou. Portanto, nos concertos, vou também apresentar os dois singles e mais uma coisa ou outra nova", garante.

"Agulha no Palheiro", o primeiro single, é uma canção de amor num registo "quase pop", segundo Carlão. Produzido por Kking King, conta com Bruno Ribeiro na voz, que ao vivo se junta a Gil Pulido nas teclas, DJ Glue nos pratos e Nuno Espírito Santo no baixo. O vídeo, da autoria de Tiago Ribeiro, também já está disponível. Veja aqui:

Se as colaborações com Kking Kong e Bruno Ribeiro, envolvidos neste tema, já tinham sido experimentadas em Na Batalha (o EP em formato digital editado no ano passado), a parceria com Tiago Ribeiro, autor do vídeo, foi uma estreia. "Era para ter acontecido com um tema do EP, o 'Hardcore', mas depois, por incompatibilidade de agendas, acabou por não se conseguir concretizar. Por isso, aconteceu agora", esclareceu o ex-Da Weasel.

MD