Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Morreu o baterista mais samplado de todos os tempos

Clyde Stubblefield foi músico de James Brown, com quem gravou, por exemplo, "Funky Drummer", tema cujo padrão rítmico foi usado em centenas de faixas ao longo dos anos

Clyde Stubblefield, baterista de James Brown responsável pelo histórico break de "Funky Drummer", morreu aos 73 anos, vítima de insuficiência renal.

Questlove, o popular baterista dos Roots, usou as redes sociais para expressar os seus sentimentos perante o desaparecimento do músico veterano: "Clyde Stubblefield, obrigado por tudo o que me ensinaste. O espírito do maior baterista que tocava tarola com a mão esquerda viverá através de todos nós".

A discografia do período em que James Brown estabeleceu as fundações do funk tem as suas mãos - e pés!: álbuns como Cold Sweat, I Got The Feelin', It's a Mother, Say It Loud - I'm Black and I'm Proud ou Sex Machine - gravados entre 1967 e 1970 - contam com a sua clássica marca rítmica.

Stubblefield nasceu em Chattanooga, no Tennessee, e tornou-se baterista depois de ter visto um desfile com uma banda, em criança: os tambores foram os instrumentos que mais o inspiraram. Na década de 60 fez parte de bandas de palco de Otis Redding e Edie Kirkland, o guitarrista de jazz, e em 1965 juntou-se à banda de James Brown, que tinha a particularidade de ter mais um baterista, o igualmente lendário John "Jabo" Starks, cinco anos mais velho (e ainda vivo).

São notórias as ideias de James Brown sobre o ritmo: o músico gostava de colocar a bateria no centro da sua arquitetura sonora, como o motor principal de toda a orquestra que o acompanhava, e por isso mesmo o papel de Stubblefield era decisivo. Mas os padrões que criava para os temas de Brown eram fruto da sua imaginação, facto pelo qual nunca foi creditado. "Estávamos no estúdio sentados, a prepararmo-nos para uma sessão, e penso que quando acabei de montar a bateria comecei a tocar um padrão. Comecei a tocar qualquer coisa", disse um dia Stubblefield, citado agora pela Rolling Stone, "a linha de baixo apareceu depois, a guitarra também se juntou e tínhamos ali uma base rítmica, e se o James Brown gostar, disse eu, fazemos qualquer coisa com isto".

O nascimento de "Funky Drummer" não foi diferente do de dezenas de outras faixas, mas a verdade é que o break, despedido no disco de 1970 de James Brown, se tornou por isso mesmo um dos mais samplados de sempre, tornando-se a base de centenas de discos de hip hop de gente como Public Enemy, Beastie Boys ou Dr. Dre, entre tantos outros nomes.

Nas décadas que se seguiram ao período em que trabalhou com James Brown, Stubblefield manteve-se activo, criando os Funkmasters com John "Jabo" Starks e assinando muitas sessões para múltiplos artistas. Em 2011, no programa de Jimmy Fallon, apresentou-se ao lado de Chuck D para interpretar "Fight The Power". A dívida que toda uma cultura tem para com o seu trabalho original é incomensurável.

Stubblefield desapareceu ontem, 18 de Fevereiro, aos 73 anos, depois de se debater com problemas renais nos últimos 15 anos. Prince, um assumido fã do seu trabalho, ajudou com 80 mil dólares para pagar tratamentos hospitalares de Clyde Stubblefield, que não tinha seguro de saúde.