Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Chad Channing, o baterista que Dave Grohl foi substituir nos Nirvana, faz hoje 50 anos

O músico tocou na banda de Kurt Cobain entre 1988 e 1990 e não deixou de estar ligado à música

Chad Channing, o baterista que gravou com os Nirvana o primeiro álbum, Bleach, está de parabéns. O músico que esteve na banda de Seattle de 1988 a 1990, tendo sido substituído por Dave Grohl, completa hoje 50 anos.

O percurso de Channing começou nos Tic Dolly Row em 1987, mas pouco tempo depois o músico já se tinha juntado a Kurt Cobain e Krist Novoselic, que procuravam um baterista. Bleach, o álbum dos Nirvana, saiu em junho de 1989 e, apesar das críticas positivas, o seu impacto não foi em nada comparável ao de Nevermind (já com Dave Grohl na bateria), o disco de "Smells Like Teen Spirit", lançado dois anos depois.

Os Nirvana em 1989 (Chad Channing à direita)

Os Nirvana em 1989 (Chad Channing à direita)

Em 1990, começaram os desentendimentos com Cobain e Novoselic: Channing mostrou-se frustrado por não participar ativamente na escrita e composição das canções e a decisão de abandonar os Nirvana acabou por ser consensual. Antes de deixar a banda, o baterista ainda tocou em algumas das canções que viriam depois a ser gravadas para Nevermind, sendo que uma das que chegou ao disco - "Polly" - conta com o seu contributo (na percussão). Também em edições posteriores, como a coletânea de lados B e raridades Incesticide (1992), o disco ao vivo From the Muddy Banks of the Wishkah (1996) ou a caixa With The Lights Out (2004), a sua participação é creditada.

No início dos anos 90, Chad Channing integrou os Fire Ants, com dois irmãos de Andrew Wood, malogrado vocalista dos Mother Love Bone, gravando depois um álbum com os The Methodists (1998). Hoje, integra os Before Cars, com quem editou um EP (2006) e dois discos de originais, Walk Back (2008) e How We Run (2013). Em entrevista à Rolling Stone, há seis anos, Channing contou que Walk Back é uma espécie de "antologia pessoal", integrando canções que foi escrevendo antes, durante e depois do seu percurso com os Nirvana.

Veja-o aqui a falar sobre o tempo que passou nos Nirvana:

MD