Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Donald Trump

Alex Wong

O pesadelo de Donald Trump: todos os músicos que já deram negas à tomada de posse do presidente eleito dos EUA

O presidente eleito dos Estados Unidos continua com dificuldades para convencer os artistas

A pouco menos de um mês da cerimónia de tomada de posse de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos, ainda são muito poucos os artistas que aceitaram atuar na mesma.

Para já, apenas Jackie Evancho, ex-concorrente do programa de televisão America's Got Talent, está garantida, tendo o cantor de ópera Andrea Bocelli sido "rejeitado" por Trump após ter sido anunciada a sua presença.

Esta semana, foi anunciado pelo comité encarregue de organizar a cerimónia mais dois nomes. A companhia de dança Radio City Rockettes estará presente, elas que terão sido obrigadas a atuar tendo em conta o contrato que assinaram com a Madison Square Garden Company, e o Mormon Tabernacle Choir, um coro ligado à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Segundo consta, foi feita uma oferta aos Beach Boys sobreviventes - sem Brian Wilson, que passou este ano pelo NOS Primavera Sound - para atuarem na cerimónia, estando o grupo neste momento a "considerar" a sua presença.

No entanto, foram já muitos os nomes que disseram "não" a Donald Trump. Elton John chegou a ser anunciado, mas desmentiu, posteriormente, essa possibilidade.

Um dos casos mais controversos ligados a esta cerimónia prendeu-se com o facto de a equipa de Trump estar, aparentemente, disposta a "subornar" as grandes estrelas, oferecendo-lhes cargos enquanto "embaixadores" dos Estados Unidos. Justin Timberlake, Katy Perry e Bruno Mars terão rejeitado essa possibilidade, mas a cantora soul Aretha Franklin não a coloca de lado. "Vamos ver", afirmou, numa entrevista recente.

Duas das rejeições mais "duras" partiram, no entanto, do campo republicano: o cantor country Garth Brooks decidiu não aceitar a oferta que lhe foi endereçada, bem como os Kiss, cujo baixista, Gene Simmons, é um fiel apoiante do partido conservador. "Eles pediram-nos [para atuar], mas dissémos que não", revelou.

Entre outros nomes que também não irão, quase de certeza, comparecer na cerimónia de tomada de posse de Donald Trump estão os de Céline Dion, do produtor David Foster e até mesmo o de Kanye West - que, contudo, não é uma hipótese colocada de parte.