Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

O calvário de Kanye West nas últimas semanas

O músico foi hospitalizado após um episódio psicótico

Kanye West teve duas semanas para esquecer. Tudo começou num concerto em San Jose, na Califórnia, quando o rapper declarou que teria votado em Donald Trump nas eleições presidenciais, caso tivesse votado, perante os apupos dos seus fãs.

Poucos dias depois, Kanye West dava por terminado um concerto em Sacramento após apenas 15 minutos, e após ter criticado Beyoncé, Jay-Z e Hillary Clinton durante o mesmo, seguindo-se o anúncio de que as restantes datas da digressão em torno de The Life of Pablo seriam canceladas.

Imediatamente a seguir, West é internado num hospital de Los Angeles, após sofrer um episódio psicótico durante o qual tentou agredir um funcionário do ginásio que frequenta. Prognóstico: exaustão extrema e desidratação.

Já esta semana, o músico teve finalmente alta do hospital em questão, mas o seu estado de saúde mantém-se algo frágil. E não é de agora.

Segundo o jornal US Weekly, Kanye West vinha tendo pesadelos e várias noites sem dormir nas semanas que anteciparam a sua hospitalização. Para tal contribuiu a situação vivida pela sua mulher, Kim Kardashian, em Paris.

A socialite, recorde-se, foi assaltada durante uma estadia num hotel na capital francesa. West terá ficado bastante abalado, e também paranóico, com o incidente. "Ver a Kim perto da morte deixou-o de rastos", contou uma fonte próxima do rapper ao US Weekly.

O facto de ter de voltar tão depressa aos concertos - o assalto foi em outubro - não ajudou, bem como a carga de trabalho que tinha; West encontrava-se a desenhar uma nova linha dos seus ténis, e também para a Adidas. "Passava a noite a desenhar, ou a andar de um lado para o outro e a fazer flexões", contou ainda a mesma fonte. "Não se conseguia acalmar de todo e ir para a cama. [Ele e Kim] andavam a discutir porque ele estava impossível".

Aquando da sua hospitalização, a 21 de novembro, o rapper estaria sem dormir há cerca de uma semana, tendo-se tornado durante esse período "agressivo e assustador", chegando mesmo a destruir o seu telemóvel.

"[West] tinha dificuldade em perceber o que era real ou não", afirmou uma outra fonte. "Estava violento, mas não em relação às pessoas".

A sua estadia no hospital serviu para melhorar o seu estado de saúde, mas não muito. Segundo alguns relatos, o músico terá recusado descansar o tempo exigido pelos médicos, pedindo aos seus colaboradores próximos para lhe mostrarem os desenhos da sua coleção de ténis e para trazerem equipamento de gravação para o hospital, presumivelmente para compor novos temas.

Kanye West estará, agora, na sua casa em Los Angeles, aos cuidados de Kim Kardashian - não se sabendo novidades de maior em relação ao seu estado de saúde.