Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Os últimos dias de Sharon Jones

A cantora norte-americana faleceu na passada sexta-feira, vítima de cancro

Sharon Jones, a voz dos The Dap-Kings, morreu na passada sexta-feira, devido a um cancro no pâncreas.

Segundo Gabriel Roth, baixista da banda norte-americana, em declarações ao Los Angeles Times, a cantora terá ficado bastante perturbada com a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, ao ponto de sofrer um AVC.

Na noite de 8 de novembro, noite das eleições, a cantora terá dito a quem estava junto de si que Trump foi o causador do incidente, conta Roth. No dia seguinte, Jones voltou a sofrer novo AVC, que a deixou sem conseguir falar ou responder até à sua morte.

Mesmo isso não a terá impedido de continuar a cantar, revela o baixista. "Começou com gemidos, depois passou a fazê-lo no tom", conta. "De imediato começou a entoar a 'His Eye On The Sparrow' [hino gospel do início do séc. XX]", acompanhada pela banda.

"Tocámos e cantámos com ela, e a pouco e pouco ela começou a mexer a boca e a cantar. Só queria cantar hinos gospel. Sempre que parávamos, ela começava a cantar a 'Amazing Grace', a 'Go Tell It On The Mountain' ou a 'This Little Light Of Mine'", afirmou.

Roth descreveu a cantora como "a pessoa mais forte que algum de nós já conheceu" e explicou que "ela não queria parar de cantar".

Sharon Jones tinha 60 anos, tendo editado, com os The Dap-Kings, seis álbuns de estúdio. Deveria ter atuado na edição deste ano do Vodafone Paredes de Coura, mas foi forçada a cancelar o seu concerto devido à doença.