Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Leonard Cohen

Morreu Leonard Cohen

O músico e poeta canadiano tinha 82 anos

Poucos dias após ter lançado You Want It Darker, o seu 14º álbum de originais, e outros tantos após ter dado uma entrevista em que se dizia pronto para morrer, Leonard Cohen faleceu esta semana, aos 82 anos. Não são ainda conhecidas as causas da sua morte.

O anúncio foi dado através da página oficial de Cohen no Facebook, que se refere ao músico e poeta como "um dos visionários mais reverenciados e prolíficos da música".

Certamente que o era: ao longo de mais de meio século de carreira, Cohen foi dos poucos a conseguir aliar música e poesia de forma exímia, tendo influenciado inúmeros artistas de gerações posteriores, como Jeff Buckley, Nick Cave ou os R.E.M. - tudo artistas que fizeram versões de canções do canadiano.

Aliás, Cohen foi um dos nomes mais falados após a atribuição do Prémio Nobel da Literatura a Bob Dylan, com muitos pedindo ou perspetivando uma futura vitória sua.

Nas últimas semanas, Leonard Cohen vinha promovendo o seu novo álbum, tendo dado uma entrevista ao New Yorker que ficará agora célebre; na mesma, o músico canadiano diz-se "pronto para morrer". Posteriormente, à Billboard, Cohen havia referido ter "exagerado" nas suas palavras, mostrando a sua intenção de "viver para sempre".

Em agosto passado, com a morte de Marianne Ihlen (norueguesa que teve um caso amoroso com Cohen e que é a inspiração por detrás de "So Long, Marianne", um dos temas mais conhecidos deste), foi igualmente partilhada uma carta do canadiano à sua musa em que este dela se despede, afirmando que a "seguirá muito em breve".

Músico de um legado discográfico riquíssimo, Cohen será mais conhecido por "Hallelujah", canção editada em 1984 que se tornou no seu maior êxito, tendo sido cantada por dezenas de artistas desde então, como Jeff Buckley, Bob Dylan ou John Cale.

Cohen atuou por seis vezes em Portugal, tendo-se estreado por cá no ano de 1985 com um concerto em Cascais, no extinto Pavilhão do Dramático. A sua última visita data de 2012, quando atuou no Pavilhão Atlântico, hoje MEO Arena - onde, aliás, cantou por três vezes.

Na mensagem partilhada no Facebook, é ainda referido que um memorial a David Cohen será realizado em Los Angeles numa data a assinalar, sendo que a família pede por privacidade durante o seu luto.