Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Liberdade condicional negada pela nona vez ao homem que matou John Lennon

Mark David Chapman permanecerá na cadeia durante pelo menos mais dois anos

O homem que matou John Lennon, Mark David Chapman, viu-lhe ser negada pela nona vez o pedido de liberdade condicional, a qual tem tentado desde o ano 2000. Agora, só poderá tentar novamente em 2018.

Chapman, que matou Lennon a 8 de dezembro de 1980, foi condenado a prisão perpétua, estando elegível para liberdade condicional após ter cumprido 20 anos de pena.

De acordo com a comissão de indultos, a libertação de Chapman "seria incompatível com o bem-estar da sociedade e desvalorizaria não só a seriedade do crime como o respeito pela lei".

Chapman, que tem hoje 61 anos, diz ter encontrado a sua "paz de espírito" e afirma ter sido "perdoado por Jesus Cristo". Uma das vozes que se tem colocado contra a sua libertação é a de Yoko Ono, viúva do músico, que já disse várias vezes temer pela sua segurança caso seja concedida liberdade condicional ao assassino.