Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Neurosis

Amplifest começa hoje, no Porto: cartaz, horários e informações úteis

O festival portuense contará com concertos de bandas como Mono, Kayo Dot e Neurosis

"Não é um festival, é uma experiência". É assim que o Amplifest, que se inicia hoje e se prolonga até segunda-feira, se apresenta ao mundo. Ao longo de quatro dias, o evento portuense contará com nomes como Kayo Dot, Mono, Caspian, Oathbreaker e Neurosis.

E é nestes últimos que estarão todas as atenções. A banda norte-americana, baluarte do chamado pós-metal, estrear-se-á em Portugal pela mão do Amplifest. Consigo virão, provavelmente, alguns dos temas que compõem Fires Within Fires, o seu 11º álbum, que será editado no próximo dia 23 de setembro com o selo da sua própria Neurot Recordings.

Para além dos Neurosis, o festival contará igualmente com os japoneses Mono, banda que tal como os primeiros gozam de um estatuto de culto por cá. Os Mono estão também a preparar um novo álbum, Requiem For Hell, que sairá em outubro. Este espetáculo marcará o seu regresso ao Porto e ao Hard Club, um ano após terem por ali passado, também pela mão da promotora Amplificasom.

Contudo, não é apenas do rock mais expansivo ou dos metais mais pesados que se faz o cartaz do festival; há também que destacar a cantora e pianista sueca Anna von Hausswolff, a electrónica experimental de Roly Porter e o noise absoluto de Dominick Fernow, que ali atuará com um dos seus projetos de maior fama, Prurient.

Para além dos concertos, o Amplifest contará também com listening sessions dos nosos álbuns de Mono, Ricardo Remédio, Atila e Wrekmeister Harmonies, filmes, conferências, DJ sets e outras atividades diversas.

O festival, que se realiza pela primeira vez em agosto, desdobrar-se-á durante o fim de semana entre as duas salas do Hard Club (Rua do Infante D. Henrique), sendo que hoje e segunda-feira estão igualmente marcados alguns concertos especiais.

O mote de partida será dado no Cave 45 (Rua das Oliveiras, Cedofeita), com os Aluk Todolo (banda francesa de black metal), estando o encerramento a cargo de Steve Von Till e The Leaving, no Passos Manuel. Os bilhetes para estes concertos, de entrada limitada, já esgotaram, restando apenas bilhetes para sábado e domingo: os diários custam 39 euros e 49 euros, respetivamente, com o passe a 75 euros.

Este será igualmente o ano em que o Amplifest estará bem disperso em termos de público; cerca de 60% dos bilhetes vendidos foram para o estrangeiro, sendo que no evento estarão representados mais de 25 países, de vários continentes.

De forma a chegar facilmente ao Hard Club, o melhor será mesmo seguir de transportes públicos. A estação de comboio mais próxima é a de São Bento, tal como a do metropolitano. Daí, é só descer a Rua de Mouzinho da Silveira até encontrar o edifício do espaço. De autocarro, é ainda mais fácil - basta apanhar uma carreira que pare na Ribeira.

Confira aqui o cartaz completo e os horários das atuações:

19 de agosto (Cave 45)

22h00 - Aluk Todolo

20 de agosto (Hard Club)

15h50 - Redemptus (Sala 2)
16h30 - Minsk (Sala 1)
18h10 - Altarage (Sala 2)
19h00 - Kowloon Walled City (Sala 1)
19h50 - Sinistro (Sala 2)
20h45 - Anna Von Hausswolff (Sala 1)
21h50 - Kayo Dot (Sala 2)
23h00 - Mono (Sala 1)
00h40 - Roly Porter (Sala 2)

21 de agosto (Hard Club)

15h00 - Tiny Fingers (Sala 1)
15h50 - Tesa (Sala 2)
16h35 - The Black Heart Rebellion (Sala 1)
18h00 - Névoa (Sala 2)
18h40 - Caspian (Sala 1)
19h45 - Hope Drone (Sala 2)
20h35 - Oathbreaker (Sala 1)
21h30 - Downfall of Gaia (Sala 2)
22h20 - CHVE (Sala 2)
23h00 - Neurosis (Sala 1)
00h40 - Prurient (Sala 2)

22 de agosto (Passos Manuel)

21h15 - The Leaving
22h00 - Steve Von Till