Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Depois do fogo, festival Andanças prossegue “com um cemitério de carros à porta”

Um autêntico cemitério de viaturas, em pleno campo alentejano, é o cenário numa das entradas do festival Andanças, em Castelo de Vide, Portalegre, após o incêndio que deflagrou num dos parques de estacionamento do evento

"Eu nunca vi uma coisa assim na minha vida, isto parece um cemitério de carros", disse à agência Lusa Pablo Cortez, que viajou de Madrid (Espanha) até ao Alentejo para participar no festival. Apesar de ter assistido à destruição completa da sua viatura, Pablo Cortez considerou que agora "a vida continua" e espera divertir-se no festival "Andanças", que prossegue até domingo.

O incêndio que destruiu 422 viaturas e danificou parcialmente outras nove, segundo fonte da Proteção Civil, não desanimou os festivaleiros. Apesar do receio e dos danos materiais, os ânimos não se exaltaram.

O recinto do festival "Andanças", junto à albufeira de Póvoas e Meadas, já voltou a receber participantes. Margarida Moura estava no "Andanças" para fazer um ateliê de danças portuguesas e viu também a sua viatura arder totalmente, esperando nesta altura uma resposta por parte das autoridades e da organização do festival.

"A organização neste momento manda-nos esperar. Queremos perceber como as coisas vão funcionar", referiu. Margarida Moura disse à Lusa que o dia tinha começado bem, mas teve depois uma reviravolta: "Um dia que começou bem e que teve, esta tarde, tristeza, que poderia ter sido minimizada caso regassem o mato seco que está no parque de estacionamento".

Outro dos festivaleiros que estavam no local, Fábio Mendes, assistiu ao incêndio desde o início, relatando à Lusa que as chamas começaram numa viatura e que, por entre ervas secas, as chamas foram alastrando até às restantes viaturas.

Fábio Mendes recordou ainda que as pessoas "gritavam por socorro" ao mesmo tempo que se ouviam explosões no local.
Está já a ser constituído um gabinete para ajudar os festivaleiros, com apoio logístico e psicológico, esperando a organização dar resposta a todas as pessoas afetadas.

A organização já assegurou que tem "um seguro que cobre os danos" resultantes do incêndio, pelo que está "em contacto com a seguradora para avaliar tudo", disse aos jornalistas, no local, a responsável pela Coordenação Executiva e Sustentabilidade do evento, Graça Gonçalves.

O fogo teve origem numa viatura num parque de estacionamento, que fica localizado a "algumas centenas de metros" do recinto do festival, e levou à retirada de quatro mil pessoas do local, por precaução, segundo a GNR.

Segundo dados divulgados na página na Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o alerta foi dado às 15:00. Às 18:15, o incêndio estava dado como extinto.
Embora sem ferimentos graves, três pessoas foram assistidas no local, duas das quais foram transportadas para o hospital de Portalegre por inalação de fumos.

O "Andanças" - Festival Internacional de Danças Populares decorre desde segunda-feira nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide. Promovida pela PédeXumbo, Associação para a Promoção da Música e Dança, a 21.ª edição do festival esperava receber, até domingo, 40 mil visitantes, numa área de 28 hectares.

Lusa