Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Músicos britânicos reagem ao Brexit

O povo britânico votou ontem o referendo que determinou a sua saída da União Europeia

O Reino Unido irá mesmo abandonar a União Europeia, após o voto no Leave ter conquistado a maioria, com 52% dos votos. Os resultados já provocaram o caos nos mercados, com a libra a cair para mínimos históricos.

No mundo da música, a grande maioria lamenta o resultado da votação. Um dos primeiros a comentar foi o guitarrista Johnny Marr, no Twitter, que escreveu "nunca estive tão feliz por estar na minoria".

Ed Simons, dos Chemical Brothers - que atuam em Portugal no próximo dia 7 de julho, no NOS Alive - disse-se "incrédulo, triste, assustado e zangado", criticando também a posição de vários séniores no referendo; entre a população com mais de 65 anos, o Remain obteve apenas 39% dos votos. "Cenas incríveis: velhos estúpidos a proclamar vitória enquanto as suas poupanças desaparecem. Idiotas", escreveu.

Já Olly Alexander, dos Years & Years, foi bastante mais sucinto: escreveu simplesmente "f***-se". Stuart Murdoch, dos Belle & Sebastian, levantou novamente a questão de uma Escócia independente - nesta nação e na Irlanda do Norte, o voto no Remain foi maior que no Reino Unido em geral.

São poucos os músicos que apoiam a saída da União Europeia. Os rostos mais conhecidos neste campo são o de Roger Daltrey (The Who) e Bruce Dickinson (Iron Maiden).