Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

Sobrevivente do ataque ao Bataclan escreve carta a Jesse Hughes: “Tu não és nenhum herói”

Ismael El Iraki era um dos muitos presentes na sala de espetáculos parisiense quando se deram os atentados

Um jovem francês partilhou esta semana, nas redes sociais, uma carta onde critica a postura e as declarações de Jesse Hughes, dos Eagles of Death Metal, que disse recentemente ter visto "terroristas" a passear-se pelo Bataclan antes dos ataques, bem como muçulmanos a festejar nas ruas após os mesmos.

Estas declarações de Hughes vêm no seguimento do que disse há escassos meses, quando afirmou que parte do staff do Bataclan sabia de antemão que os atentados iriam ocorrer naquela noite, algo que os donos do espaço repudiaram de imediato.

As palavras do frontman dos Eagles of Death Metal levaram dois festivais franceses a cancelar os espetáculos que haviam agendado da banda. Agora, foi a vez de Ismael El Iraki, parisiense e muçulmano, criticar Jesse Hughes.

Começando por afirmar adorar a música de Hughes, Ismael desabafa: "nunca pensei que te viesses a tornar um difusor do medo", diz, comparando-o à estação de televisão norte-americana Foz News e a Donald Trump. "Sempre pareceste um rebelde", prossegue, "e nós (o público rock) sempre te amámos e defendemos porque eras um palerma adorável; agora provaste que a tua estupidez é muito perigosa".

O jovem, que não esconde as suas origens árabes, critica sobretudo a posição de Hughes em relação aos muçulmanos: "vivo e respiro rock n' roll e não poderia parecer mais muçulmano mesmo que tentasse, mas aparentemente a grande conspiração árabe passou por mim. Esqueceram-se de me avisar", escreve em tom irónico.

Ismael relembra ainda, na missiva, que muitos dos que estavam presentes no Bataclan devem a sua vida a um homem de origem árabe. "O nome dele era Didi, e abriu a porta pela qual muitos de nós saímos. E ainda voltou lá para dentro para salvar mais pessoas", escreve.

"Ele era um herói. Um herói desarmado e real que tu insultaste com os teus comentários racistas e odiosos. Tu não és um herói, és como eu: um tipo normal que foi apanhado numa situação horrível", diz ainda.

Ismael termina a sua carta deixando um pedido a Jesse Hughes: "o rock n' roll é amor, meu. O tipo de amor que une uma nação, o mundo inteiro. Volta a ter esse espírito".

A carta tornou-se entretanto viral, contando com várias partilhas no Facebook e nos meios de comunicação tradicionais. Quanto a Jesse Hughes, ainda não respondeu à mesma. Leia aqui o texto completo, em inglês: