Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Getty Images

Woody Allen continua a ser criticado por abuso sexual. Desta vez foi Susan Sarandon

O cineasta é acusado de ter abusado sexualmente da sua filha adoptiva

A atriz Susan Sarandon é a mais recente voz a juntar-se ao coro de críticos de Woody Allen, acusado pela ex-mulher Mia Farrow de ter abusado sexualmente da filha adoptiva de ambos, Dylan, quando esta tinha sete anos.

"Não tenho nada de bom para dizer sobre o Woody Allen. Acho que ele abusou de uma criança e isso não é correcto", disse, após ter sido questionada sobre algumas declarações do realizador durante o festival de cinema de Cannes, que decorre até dia 22. Allen terá dito não se sentir "inspirado" para realizar um filme sobre uma paixão entre um rapaz jovem e uma mulher mais velha.

O realizador tem estado envolto em polémica desde o início dos anos 90, após se ter separado de Mia Farrow e casado com a filha adoptiva desta, Soon-Yi Previn. Pouco depois, Mia acusá-lo-ia dos abusos em questão, não tendo sido contudo provado que esses existiram.

O incidente voltou a ser notícia há dois anos, após Dylan Farrow ter publicado uma carta aberta no jornal norte-americano The New York Times em que acusou Allen de a deixar "fisicamente desconfortável" quando criança, algo que o realizador negou, tal qual o irmão de Dylan, Moses Farrow, que acusa a mãe de ter manipulado os filhos adoptivos "como vingança" contra Allen.

Recentemente, foi Ronan Farrow, filho legítimo do realizador com Mia Farrow, quem se insurgiu contra a "cultura de impunidade e de silêncio" na imprensa, comparando o caso de Allen ao de Bill Cosby (acusado de abusos sexuais por mais de 60 mulheres) e colocando-se ao lado da sua irmã.