Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

MEO Marés Vivas

Hugo Sousa

Volte-face: Marés Vivas vai voltar à Praia do Cabedelo

Organização do festival de Gaia forçada a alterar novamente a sua localização

O festival MEO Marés Vivas irá, afinal, realizar-se na Praia do Cabedelo, onde tem vindo a assentar arraiais todas as edições. Em causa está uma ação judicial levada a cabo pela Quercus, que motivou a suspensão das obras de preparação dos terrenos.

A edição de 2016 do MEO Marés Vivas deveria ter-se realizado junto à Reserva Natural Local do Estuário do Douro, sendo que a escolha desta zona motivou desde logo inúmeras queixas por parte de ambientalistas, que afirmam que aquele é um espaço de nidificação e passagem de várias espécies de aves.

Em declarações à Lusa, a Câmara de Gaia confirmou esta nova mudança, salientando ainda que os prejuízos daí recorrentes serão imputados "a todos aqueles que torpedaram o festival", que neste caso serão o movimento cívico SOS Estuário do Douro e a própria Quercus.

O MEO Marés Vivas poderia ainda realizar-se junto ao Estuário, mas a Providência Cautelar apresentada pela Quercus motivou um interregno de 27 dias nos trabalhos, explicando a Câmara que "os custos necessários para compensar as quatro semanas de paragem não permitiriam garantir o cumprimento atempado das responsabilidades assumidas com os patrocinadores, músicos e com o público em geral", pelo que se optou pelo regresso à Praia do Cabedelo.

Esta será a 14ª edição do festival Marés Vivas, que este ano conta no seu cartaz com nomes como Elton John, Kelis, D.A.M.A., Kodaline e James. O festival decorre de 14 a 16 de julho e os bilhetes estão disponíveis a preços que vão dos 35€ (diário) aos 60€ (passe de três dias), em todos os locais habituais.