Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Os Yacht inventaram uma sex tape e a internet caiu-lhes em cima

Banda norte-americana levada a pedir desculpas pela estranha manobra de marketing

O marketing dos Radiohead pode ser uma fraude, mas não o será tanto quanto o do duo norte-americano Yacht. A banda synthpop foi, esta semana, alvo da ira da internet após ter inventado uma sex tape de forma a promover o seu novo vídeo, "I Wanna Fuck You 'Till I'm Dead" (não será necessária tradução).

O caso teve início na passada segunda-feira, quando os Yacht - Jona Bechtolt e Claire L. Evans, que são igualmente um casal - colocaram na sua página oficial do Facebook um comunicado em que afirmavam que uma sex tape sua havia sido "roubada" do seu computador e partilhada na internet. No mesmo, entretanto apagado, podia ler-se que "devido a uma falha tecnológica e a uma pessoa moralmente abjecta, um vídeo que fizemos em privado foi tornado público".

A banda comunicou, então, a sua decisão de vender a sex tape em questão, à semelhança do que havia sido feito com celebridades como Kim Kardashian. Segundo os Yacht, bastariam cinco dólares (algo como 4 euros e 42 cêntimos) para ter acesso ao vídeo.

Ao mesmo tempo que nas redes sociais e em meios de comunicação especializados a empatia pelos Yacht crescia, a procura pelo vídeo também. O primeiro sinal de alerta de que esta situação poderia ser uma manobra de marketing foi dado pela secção dedicada à música do website 4chan, que fez notar que a sex tape em questão não se encontrava alojada em qualquer website pornográfico. Não só isso, como qualquer pessoa que tentasse adquirir a cassete através do website dos Yacht se deparava com um erro de servidor.

A confirmação de que a história não passava de uma manobra de marketing surgiu no dia seguinte, quando o website Jezebel, de cariz feminista, publicou um e-mail enviado pela banda para a Gawker Media. Neste, os Yacht explicam o seu "plano": "Para o nosso próximo vídeo, vamos fingir que nos roubaram uma sex tape. Vamos fingir que o nosso computador foi pirateado, partilhar e apagar publicações nas redes sociais sobre privacidade, tentar vendê-la e fingir um crash nos servidores".

Descoberto o engodo, a internet - que antes havia mostrado o seu apoio à banda numa hora difícil - apressou-se a criticar o duo. São muitos os utilizadores que entretanto deixaram mensagens no Facebook da banda; a opinião geral é a de que os Yacht não só exploraram a simpatia alheia, como também desrespeitaram todos aqueles e aquelas que, outrora, viram sex tapes suas partilhadas na web sem a sua permissão.

Na quarta-feira, a banda admitiu que o "vídeo privado" não passava de uma manobra de marketing, pedindo desculpa a todos. "Sentimo-nos envergonhados", dizem, acrescentando que "nunca foi [sua] intenção troçar daqueles que foram vítimas de uma violação de privacidade".

Os Yacht admitem do mesmo modo que o seu futuro não será fácil. "Sabemos que quebrámos a confiança de muitos dos nossos fãs e amigos. Têm direito a estar furiosos connosco, [tal como] nós estamos furiosos connosco", escreveram.

Entretanto, o produto final - o videoclip para "I Wanna Fuck You 'Til I'm Dead" - foi partilhado pelos Yacht, na mesma publicação em que lamentam o engodo. A banda pede para que "todos o vejam, de forma a perceberem as nossas intenções".