Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

AC/DC em palco com Axl Rose: estará Brian Johnson de acordo?

Músico passou 36 anos à frente da banda australiana e apesar de assumir que não pode atuar garante que não se vai reformar

Depois do anúncio de Axl Rose como novo vocalista dos AC/DC, pelo menos durante a digressão que a banda australiana traz à Europa e a que fará depois nos Estados Unidos, Brian Johnson emitiu o seu próprio comunicado, com alguns esclarecimentos adicionais.

O cantor, que esteve à frente da banda durante 36 anos, não chega a referir o nome de Rose nem esclarece se apoia a nova formação, apesar de agradecer o apoio dos ex-colegas Angus Young e Cliff Williams, deixando no ar a dúvida: estará completamente de acordo com a situação?

No comunicado avançado pela banda, a anunciar a contratação de Axl, Young e Cliff agradecem a Johnson de forma algo fria "pela sua contribuição e dedicação à banda ao longo dos anos", desejando-lhe melhoras e boa sorte para o futuro. Recorde-se que um amigo de Johnson, o comediante Jim Breuer, tinha dado a entender, antes, que o cantor tinha sido dispensado contra a sua vontade.

Esclarecendo algumas dúvidas, Johnson disse no comunicado tornado público anteontem que, efetivamente, os médicos o aconselharam a parar devido às questões que afetam os seus ouvidos: "os médicos tornaram bem claro - a mim e aos meus companheiros de banda - que não tinha outra escolha a não ser parar de atuar ao vivo nos próximos concertos e talvez até depois disso (...) desde então, fui a várias consultas e parece que, no futuro próximo, estarei impossibilitado de atuar em grandes recintos, onde o som está bem acima da minha tolerância de momento, sem risco de perda substancial de audição e, possivelmente, de surdez total".

Mas o músico também diz que "os comunicados de imprensa anteriores não refletiram suficientemente aquilo que queria dizer aos nossos fãs ou da forma como penso que deveria ter sido apresentado", dando a entender que não concorda com a forma como as coisas foram tratadas pela banda.

No longo comunicado, nunca diz que apoia a banda na decisão de continuar a digressão sem ele e deixa bem claro: "quero garantir aos nossos fãs que não me estou a reformar. Os meus médicos disseram-me que posso continuar a gravar em estúdio e pretendo fazer isso. De momento, estou empenhado em continuar a tratar-me para melhorar a minha audição. Espero que daqui a algum tempo possa voltar aos concertos".