Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Brian Johnson emite comunicado sobre a sua saída dos AC/DC

O vocalista confirma que sofre de graves problemas de audição e que, a continuar a tocar ao vivo, poderia ficar completamente surdo

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Brian Johnson, vocalista dos AC/DC desde 1980, emitiu um comunicado no qual explica aos fãs as razões da sua saída da banda.

O cantor confirma que, a 7 de março, foi aconselhado pelos médicos a parar de atuar ao vivo, para evitar ficar completamente surdo.

"Embora tenha fico horrorizado com as notícias, já há algum tempo me tinha apercebido que a minha perda de audição tinha começado a prejudicar a minha performance em palco. Como não conseguia ouvir bem os outros músicos, tinha medo que a qualidade da minha atuação ficasse comprometida. Não podia permitir uma coisa dessas", escreve.

Apesar de ter ido a outras consultas, Brian Johnson teve mesmo de se conformar e afastar-se dos concertos da banda, agradecendo agora aos fãs e a Angus Young e Cliff Williams pelo seu apoio, mas garantindo que ainda não se reformou.

Leia aqui o resto do seu comunicado.

"Os nossos fãs merecem que eu esteja no meu melhor, e se por alguma razão não conseguir ter esse tipo de performance, não vou desiludi-los ou envergonhar os outros membros dos AC/DC. Não sou pessoa de desistir e gosto de acabar o que comecei. No entanto, os médicos tornaram bem claro - a mim e aos meus companheiros de banda - que não tinha outra escolha a não ser parar de atuar ao vivo nos próximos concertos e talvez até depois disso. Esse foi o dia mais negro da minha vida profissional.

Desde então, fui a várias consultas e parece que, no futuro próximo, estarei impossibilitado de atuar em grandes recintos, onde o som está bem acima da minha tolerância de momento, sem risco de perda substancial de audição e, possivelmente, de surdez total. Até esse momento, tentei o melhor que pude continuar, apesar da dor e da perda de audição, mas tornou-se demasiado difícil de suportar, e os riscos eram muito grandes.

Estou pessoalmente arrasado por esta notícia, mais do que alguém possa imaginar. A experiência emocional é pior do que alguma coisa que já tenha sentido na vida. Fazer parte dos AC/DC, gravar discos e atuar para milhões de fãs dedicados nestes últimos 36 anos foi a obra da minha vida. Não me consigo imaginar a andar para a frente sem fazer parte disso, mas por enquanto não tenho escolha. A única coisa que tenho como certa é que estarei sempre com os AC/DC em todos os concertos, pelo menos em espírito.

O mais importante é que me sinto muito mal por ter desiludido os fãs que compraram bilhete para os concertos cancelados e que sempre me apoiaram nos AC/DC. Não tenho palavras para expressar a minha gratidão não só pelas manifestações mais recentes, de desejos amáveis, mas também por terem apoiado lealmente os AC/DC durante estes anos todos. O meu obrigado, também, ao Angus e ao Cliff, pelo seu apoio.

Por fim, quero garantir aos nossos fãs que não me estou a reformar. Os meus médicos disseram-me que posso continuar a gravar em estúdio e pretendo fazer isso. De momento, estou empenhado em continuar a tratar-me para melhorar a minha audição. Espero que daqui a algum tempo possa voltar aos concertos. Embora o diagnóstico seja incerto, a minha atitude é otimista. Só o tempo o dirá.

Mais uma vez, o meu agradecimento a todos pelo vosso apoio e compreensão", despende-se Brian Johnson, não fazendo referência a Axl Rose, que o substituirá nos próximos concertos dos AC/DC.