Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Guns N' Roses vs Nirvana: quando eles andaram às turras

Dave Grohl emprestou o seu “trono” a um lesionado Axl Rose, mas nem tudo foram rosas nas relações entre as duas bandas

Estávamos no ano de 1991: os Nirvana rebentavam no mainstream pela força de Nevermind, os Guns N' Roses impunham-se como uma das maiores bandas do rock através dos dois tomos de Use Your Illusion.

Ambas alteraram o rock à sua maneira - mas não significa que fossem aliados. A Rolling Stone lembrou, recentemente, o historial de conflitos entre os Nirvana e os Guns N' Roses, dias após Dave Grohl ter emprestado o seu "trono" a um lesionado Axl Rose, em Las Vegas.

Tudo poderia ter sido diferente não fosse uma frase de Kurt Cobain, ao descrever os Nirvana, à altura: "não somos uma banda como os Guns N' Roses, sem nada para dizer". Axl, que já havia sido visto a envergar um boné com o logo da banda de Aberdeen, não gostou.

Em 1992, depois de várias bocas e esnobanços - Kurt recusou ir em digressão com os Guns e com os Metallica, apesar da insistência de Axl - o vocalista dos Guns N' Roses decidiu responder. "O Kurt Cobain é um drogado de merda com uma mulher drogada. Se o bebé deles [Frances Bean] nascer com deficiências, deviam ser presos", comentava.

A guerra escalou até à cerimónia dos MTV Video Music Awards, nesse mesmo ano, com uma história que é sobejamente conhecida. Nos bastidores, Courtney Love terá gozado com Axl, pedindo-lhe para ser o padrinho de Frances. O vocalista respondeu gritando a Cobain: "ou calas a tua puta, ou atiro-te ao chão!". O que motivou resposta, sarcástica, do líder dos Nirvana, virando-se para a mulher: "cala-te, puta!".

Desde então que as relações tensas entre os membros da banda acalmaram - tendo essa bandeira branca sido erguida poucos dias antes do suicídio de Kurt Cobain, quando o vocalista encontrou Duff McKagan num voo para Seattle, onde terão falado sobre dependência de drogas e reabilitação. "Falámos sobre como nos sentimos ao voltar para casa", relembrou posteriormente o baixista.

A reconciliação veio em 1994, quando Matt Sorum ligou a Dave Grohl para mostrar as suas condolências pela morte de Cobain. Com o fim dos Nirvana, o conflito foi morrendo aos poucos - e parece, agora, ter desaparecido de vez, tal como desapareceu o conflito entre Axl e Slash.