Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Eddie Vedder no camarim do Pavilhão Atlântico, setembro de 2006. Vemos Saca (garrafa na mão), Tiago Oliveira, do Ribeira Surf Camp (boné ao contrário); atrás, entre Eddie e Tiago, Miguel Fortes, surfista português; de braços no ar, Will Henry, fundador da Save The Waves Coalition.

César Torales

Eddie Vedder: um surfista americano em Portugal

Este ano, os Pearl Jam festejam 25 anos de percurso. E Portugal esteve sempre bem perto da banda americana. Tão apaixonado pelo surf como pela música, Eddie Vedder não dispensa o mar português, particularmente o da Ericeira.

Foi com a mesma idade, por volta dos 12 anos, que Eddie Vedder descobriu aquelas que hoje são duas das suas maiores paixões: a música e o surf. Precisou, no entanto, de esperar algumas décadas até poder aliar os dois bem-ditos leitores de MP3 à prova de água mais ou menos o mesmo tempo que terá demorado a descobrir um paraíso chamado Ericeira. «Só comecei a surfar com música há poucos anos. Quando apanhei a primeira onda foi quase tão poderoso quanto ouvir música pela primeira vez», confessou o vocalista dos Pearl Jam ao site surfline.com, antes de explicar que hoje compõe música enquanto surfa. «Consigo ficar na água umas duas horas, em vez de apenas 40 minutos, se tiver música comigo».

Das últimas vezes que esteve em Portugal, o músico desenvolveu o hábito de ir surfar à praia de Ribeira d'Ilhas, conhecida por ser palco de provas do circuito mundial de surf. Isto mesmo quando assegurou que não iria. Em 2010, no final do concerto dos Pearl Jam no Optimus Alive, Vedder dirigiu-se à multidão que esgotava o recinto para dizer: «amanhã regressamos a casa para estarmos com as nossas famílias. Infelizmente não vamos ter tempo para apanhar umas ondas aqui. Apanhem uma por nós».

No dia seguinte, o fotógrafo João Bettencourt Bacelar encontrou o vocalista na Ericeira. «É um sítio onde ele se sente muito à vontade, porque não é assediado por fãs», explica o fotógrafo, que conheceu Vedder nesse mesmo dia. «Consegue ir passar um dia a uma praia, descansadamente, sem ter enchentes de pessoas a chateá-lo, a pedirem para tirar fotografias. O que ele disse no concerto foi para ter um pouco de descanso e privacidade». João Valente, diretor da Surf Portugal corrobora: «ele apanha umas ondas, depois janta com os amigos que lá estiverem [entre os quais se conta Tiago Pires, conhecido por Saca, o maior surfista português], faz umas jam sessions, joga futebol, tudo muito descontraído, sem problemas de maior porque os portugueses são muito respeitadores do espaço das figuras públicas».

A primeira investida de Vedder em praias nacionais terá acontecido no ano 2000, quando os Pearl Jam vieram tocar ao Estádio do Restelo. Antes do concerto, o músico foi até à Caparica, onde o surfista português Bruno Charneca, mais conhecido como Bubas, lhe emprestou uma prancha e um fato. Vedder ficou agradecido o suficiente para dedicar um tema a Bubas, momento imortalizado no bootleg oficial Live: 23-5-00 Estádio do Restelo Lisbon, Portugal.

As amizades que criou em Portugal, a partir de então, foram muitas. «Ele adora Portugal e tem imensos amigos cá, mais ligados ao surf que à música», explica João Bacelar, «e mesmo não vindo cá, está constantemente em contacto com essas pessoas. Basicamente a ligação dele com Portugal é com o surf». Um desses amigos foi o elo de ligação entre o músico e o fotógrafo. «Não conhecia o Eddie Vedder antes disso. Foi uma coincidência engraçada. No dia a seguir ao concerto dos Pearl Jam no Alive fui à praia, à Ericeira, e vi um amigo meu, o Rui, a chegar e a vestir o fato de surf rodeado de "velhotes", todos prontos para surfar» relembra Bacelar, «fui falar-lhe e aí vi que um [desses "velhotes"] era o Eddie Vedder. Apresentei-me e estivemos à conversa».

O fotógrafo, acompanhado pela filha, acabaria por passar a tarde com Vedder, a surfar e a conversar. «As fotos foram tiradas pela minha filha [Maria] de cinco anos. Ele também tem uma filha, que na altura tinha a mesma idade que a Maria e faz surf como ela. Isso criou logo um grande à-vontade e passámos um dia na praia com o Eddie Vedder e os outros membros da banda que, por acaso, surfavam muito mal. O Eddie Vedder surfa bem, tem um estilo muito clássico mas já surfa há muitos anos». João Bacelar revela ter tirado muito mais fotos do que as que cedeu à BLITZ, mas a banda terá pedido para não as divulgar. «Estas fotos foram tiradas pela minha filha. Quando os adultos veem uma criança com máquina, têm logo uma abertura diferente, um sorriso e um à-vontade que não teriam se fosse eu a apontar a máquina».

Na Ericeira, o refúgio de Eddie Vedder tem um nome: chama-se Ribeira Surf Camp e é lá que o músico dos Pearl Jam descontrai, não se inibindo de pegar na guitarra de vez em quando para jam sessions com amigos locais. Foi lá que, em 2006, Vedder participou num jogo de futebol com Tiago «Saca» Pires, campeão nacional de surf. Não será, pois, de estranhar se, por alturas do concerto na edição deste ano do Festival Sudoeste, alguém o vir a surfar nas proximidades da Zambujeira do Mar.

Originalmente publicado na BLITZ de agosto de 2012