Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

Lost Frequencies

Lost Frequencies estreia-se em Portugal em julho. “Adorava trabalhar com a Mø, tem uma voz estranha”

O DJ e produtor saltou para a ribalta com o tema “Are You With Me”, em 2014, e terá este ano um palco seu no festival belga Tomorrowland

Chama-se Felix De Laet e o mundo conheceu-o como Lost Frequencies em 2014 quando se tornou um sucesso nas tabelas de singles europeias com "Are You With Me", o seu primeiro tema. Agora, o DJ e produtor belga está a gravar o álbum de estreia, que espera editar antes do verão, ou seja, antes de se estrear em Portugal no palco do festival MEO Marés Vivas e de regressar ao belga Tomorrowland pela porta grande: terá um palco em seu nome.

“Nunca tinha ido ao Tomorrowland antes de ir lá tocar porque nunca consegui bilhete (risos), portanto a primeira vez que fui foi como DJ", explicou o artista à BLITZ, ontem, em Barcelona, depois da conferência de imprensa de apresentação do concurso de DJs "Mazda Drives: The Sound of Tomorrow", do qual será jurado (acumulando também a função de mentor dos seis vencedores). "Este ano, vou tocar no palco principal no Tomorrowland Brasil e no Tomorrowland belga terei o meu próprio palco, onde vão atuar pessoas como o Felix Jaehn, o Robin Schulz e Sigala, entre outros”.

O DJ subirá ao palco do evento belga a 23 de julho, poucos dias depois de atuar no Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia (toca no dia 15 do mesmo mês). “Vai ser a minha primeira vez em Portugal. Estou ansioso porque tenho andado a tocar muito pela Europa mas nunca fui a Portugal", diz, "sei que o Janieck Devy, que canta no meu tema ‘Reality’, já cantou algumas vezes lá… Espero que corra bem".

Lost Frequencies terá um palco só seu na edição deste ano do Tomorrowland

Lost Frequencies terá um palco só seu na edição deste ano do Tomorrowland

Felix deverá chegar a Portugal com o seu primeiro álbum na bagagem. “Tenho vindo a trabalhar nele no último ano… A determinado ponto achei que já o tinha pronto, mas depois apareceram mais seis temas", explica, "estou ansioso por editá-lo, mas primeiro vou editar um novo single”. Sobre a sua colaboração de sonho, não tem dúvidas: “adorava trabalhar com a Mø, tem uma voz estranha e melodias muito boas”.

Começou a fazer música quando comprou um computador, "fazia uns beats, mas era muito mau". Sobre o projeto Lost Frequencies, diz: "o conceito é fazer remisturas de temas antigos, que as pessoas já não ouvem. Por isso se chama Lost Frequencies". "Are You With Me", do cantor country Easton Corbin, apareceu por um acaso: "sempre andei à procura de uma faixa com guitarra e voz para remisturar... Não tinha pessoas que cantassem para mim, trabalhava sozinho no laptop. Andava a ouvir música no Soundcloud e, do nada, a demo desse tema country apareceu… Fiquei intrigado. Achei que soava bem, portanto fiz download da música e fiz a minha remistura”.

Assume que a música para si "é uma diversão, não é um negócio". "É engraçado porque o facto de andar a tocar tanto faz com que ganhe uma perceção diferente da minha música. As minhas faixas passam na rádio, mas às vezes num clube ou num festival a minha música precisa de ser mais agressiva, mais imponente, portanto estou a remisturá-las para que fiquem com mais força".

A colaboração de sonho de Lost Frequencies é a dinamarquesa MØ, voz de "Lean On", sucesso de Major Lazer

A colaboração de sonho de Lost Frequencies é a dinamarquesa MØ, voz de "Lean On", sucesso de Major Lazer

No set que apresentou ontem à noite no Sutton Club, em Barcelona, antes de entregar a cabine a Martin Solveig, Lost Frequencies apresentou "Are You With Me", claro, e o seu outro sucesso, "Reality", mas do set fizeram também parte temas tão variados quanto "What is Love", sucesso dos anos 90 de Haddaway, "Bongo Bong" de Manu Chao, "Love Don't Let Me Go" de David Guetta, "I Feel Good" de James Brown (com ritmo reggae), "One More Time" dos Daft Punk ou o mais recente "How Deep is Your Love" de Calvin Harris. Quase a encerrar, arranjou ainda tempo para apresentar uma remistura dubstep de "Hello", mega-sucesso de Adele.